Site Autárquico Loulé

Aquisições mês de abril 2021

  • “Indomável" de Glennon Doyle

    “Qualquer mulher tem uma ânsia dentro de si. Empenhamo-nos ao limite em ser boas: boas mães, boas filhas, boas companheiras, boas cidadãs, boas amigas. Acreditamos que todo este empenho nos fará sentir vivas. Em vez disso, deixa-nos desgastadas, presas, saturadas e desiludidas. Olhamos para as nossas vidas, as nossas relações, o nosso mundo, e perguntamos a nós mesmas: Não era suposto que tudo fosse mais deslumbrante do que isto?

    Há quatro anos, Glennon Doyle - autora, ativista e filantropa, esposa e mãe de três - preparava-se para dar uma conferência quando uma mulher entrou na sala. Glennon olhou para ela e foi amor à primeira vista. Três palavras inundaram-lhe o pensa- mento: Ali Está Ela. Ao início, Glennon assumiu que estas palavras lhe chegavam vindas de uma instância superior. Mas depressa compreendeu que lhe chegavam de dentro.

    Glennon estava por fim a ouvir a sua própria voz: a voz que fora silenciada por décadas de condicionamento cultural, vícios entorpecentes e lealdades institucionais. Jurou não voltar a abandonar-se e decidiu construir uma vida própria, baseada nos seus desejos, intuições e imaginação. Glennon iria reivindicar a sua autêntica e indomada individualidade.”

     

    https://culturaeditora.pt/products/indomavel?_pos=1&_sid=42373ca74&_ss=r

  • “Como evitar um desastre climático" de Bill Gates

    “«Dispomos já de algumas ferramentas necessárias para uma mudança de rumo, e quanto às que não possuímos, o que aprendi sobre clima e tecnologia permite-me acreditar que seremos capazes de as inventar e aplicá-las no terreno, evitando assim, se não perdermos mais tempo, um desastre climático.»

    BILL GATES

     

    Neste livro necessário e factual, Bill Gates traça um plano prático, abrangente e acessível, mostrando-nos de que maneira o mundo pode eliminar as emissões de gases com efeito de estufa, a fim e a tempo de evitarmos um desastre climático.

    Bill Gates passou a última década a estudar as causas e os efeitos das alterações climáticas. Com a ajuda de peritos no domínio da física, química, biologia, engenharia, ciência política e finança, procurou saber o que tem de ser feito para que o planeta não caminhe em direção a uma catástrofe anunciada. Neste livro, além de explicar porque temos de alcançar a neutralidade carbónica, o autor apresenta-nos os passos concretos fundamentais para o êxito desse objetivo.

    Oferecendo-nos uma visão esclarecedora dos desafios que nos esperam e apoiado no seu vasto conhecimento em matéria de inovação e do que envolve lançar novas ideias no mercado, Bill Gates indica-nos as áreas em que a tecnologia está a ajudar-nos a reduzir emissões, onde e como podemos tornar a tecnologia atual mais eficiente, onde são necessárias novas soluções, e quem se encontra já a desenvolvê-las. Por fim, o autor dá-nos conta do seu plano, um guia prático e concreto para alcançarmos a neutralidade carbónica, sugerindo não só as políticas que os governos devem adotar, mas o que nós, indivíduos, podemos fazer para nos mantermos todos, incluindo os nossos líderes, responsáveis pelo êxito desta missão crucial.

    Alcançar a neutralidade carbónica será tudo menos fácil, porém, se seguirmos o plano traçado ao longo destas páginas, é um objetivo que se encontra certamente ao nosso alcance.”

     

    https://www.ideiasdeler.pt/produtos/ficha/como-evitar-um-desastre-climatico/23996638

  • “Os infiltrados" de Norman Ohler

    “Eram jovens e bonitos, oriundos de famílias alemãs abastadas e favoráveis ao regime nazi. Contudo, decidiram escolher a oposição. Juntos, no coração do Terceiro Reich — ele enquanto oficial no Ministério da Aviação e ela enquanto funcionária da delegação local da Metro-Goldwyn-Mayer —, fizeram o inimaginável: criaram um movimento de resistência alemã que ganharia contornos de mito, durante e após a guerra, e que despertaria a fúria de Hitler. Desmascarados, foram condenados por alta traição e executados pouco antes do Natal de 1942.

    Chamavam-se Harro Schulze-Boysen e Libertas Haas-Heye. Tinham 33 e 29 anos. Todos os vestígios dos seus nomes e as suas memórias foram apagados pelo regime. Norman Ohler reconstrói a história de Harro e Libertas, que é também o retrato da Berlim das décadas de 1930 e 1940 e da passagem da República de Weimar para o Terceiro Reich.

    Uma narrativa fascinante e ritmada, escrita com base em diários não publicados, cartas e arquivos da Gestapo, que nos prende do princípio ao fim e nos faz recuperar a fé na humanidade.”

     

    https://www.wook.pt/livro/os-infiltrados-norman-ohler/24574559

  • “A bússola da alimentação" de Bas Kast

    “Um livro que nos elucida todas as dúvidas sobre alimentação saudável, com base nos estudos científicos realizados até ao momento.

    Emagreça de forma eficaz, previna doenças e retarde o envelhecimento com a ajuda da ciência.

    O que devo comer? É uma pergunta simples cuja resposta, atualmente, se tornou muito complexa. E se eu experimentasse a dieta paleo? Ou a dieta low carb? Ou a low fat? Ou, talvez, a dieta keto ou uma dieta sem glúten? Muito do que achamos ser uma alimentação saudável poderá estar, na verdade, a fazer-nos mal.

    Bas Kast explica como sair deste caos provocado pela batalha das dietas, ao colocar de lado as tendências da moda e as ideologias muitas vezes contraditórias. E dá resposta às perguntas-chave: O que fazer para perder peso de forma duradoura? Poderemos evitar os típicos padecimentos da idade? É possível «rejuvenescermos» com a ingestão de determinados alimentos?

    A Bússola da Alimentação é a síntese dos resultados de estudos científicos realizados nas últimas décadas sobre nutrição e envelhecimento, descrevendo as bases para uma alimentação que previne o aparecimento de doenças típicas da idade e mantém o corpo em forma durante mais tempo.

    Não perca o rumo da sua saúde.

    Saiba a resposta a todas as perguntas sobre alimentação.”

     

    https://nascente.pt/livros/a-bussola-da-alimentacao

  • “O lugar das árvores tristes" de Lénia Rufino

    “Isabel não tinha medo dos mortos. Gostava de passear por entre as campas do cemitério, a recuperar as histórias da morte daquelas pessoas. Quando a falta de alguma informação lhe acicatava a curiosidade, perguntava à mãe...

    Quando esta se recusa a dar-lhe uma resposta sobre uma mulher chamada Eulália, Isabel inicia uma busca por esclarecimentos. Só que ninguém quer falar sobre o assunto e, Inesperadamente, Isabel vê-se confrontada com uma teia de mentiras, maldade, enganos e crimes que a levam a compreender o passado misterioso da mãe e a forma quase anestesiada da sua existência.

    Um romance de estreia profundamente sagaz e envolvente que faz um retrato do interior português preso na tradição religiosa da década de 1970.”

     

    https://www.presenca.pt/products/o-lugar-das-arvores-tristes

  • “Puta que os pariu!: a biografia de Luiz Pacheco" de João Pedro George

    “Luiz Pacheco era capaz das loucuras mais desapiedadas, mas também de actos de grande generosidade. Pessoa cheia de contrastes e incoerências, tinha uma enorme facilidade para relacionar-se com os outros e, depois, para cortar relações. Impulsivo e inconstante, aparecia e desaparecia de repente. Capaz de prescindir de tudo e de começar do zero, durante anos viveu em pensões manhosas, de onde muitas vezes era expulso por falta de pagamento. Era um especialista em dívidas e em não as pagar. Conheceu a miséria, o vício e a degradação. Gostava de estar perto dos marginais e das ovelhas ranhosas, porque com aqueles que não têm nada a perder conhecem- se melhor os labirintos da alma humana. Fundador da Editora Contraponto, conhecia bem o campo da edição e o meio das letras, onde fervilhavam as intrigas e as capelinhas, e contra tudo isso lutou, recusando-se a participar na engrenagem dos manejos literários. Desmascarou os falsos prestígios e maltratou alguns intocáveis da cultura. Alguns viam Pacheco como um apocalíptico, um herdeiro da tradição dos grandes inconformistas. Mas foi simultaneamente um produto do próprio meio literário. Capaz de aparecer nu no meio do Montijo ou de pijama no Largo do Carmo, no 25 de Abril, em torno de Luiz Pacheco criou-se uma lenda, histórias e boatos que circulavam e que quase nunca se incomodou em desmentir, porque, como alguém disse, essa era a melhor forma de chegar a génio.”

     

    https://tintadachina.pt/produto/puta-que-os-pariu/

  • “O rapaz do bosque" de Harlan Coben

    “Um homem com um passado misterioso tem de encontrar uma adolescente desaparecida. Um thriller emocionante.

    Há trinta anos, Wilde foi encontrado a viver no bosque, sem qualquer recordação do seu passado. Agora, adulto, ainda não conhece a sua origem. e outra criança está desaparecida.

    Ninguém parece levar a sério o desaparecimento de Naomi Pine, nem sequer o seu pai. Mas há uma exceção. Hester Crimstein, advogada criminal televisiva, sabe pelo seu neto que Naomi era constantemente vítima de bullying na escola. Hester pede a Wilde - com quem partilha uma ligação trágica - para usar a sua capacidade única para encontrar Naomi.

    Wilde não pode ignorar o desaparecimento daquela adolescente mas, para conseguir encontrar Naomi, tem de aventurar-se de novo no seio da comunidade, um lugar onde os poderosos são protegidos, mesmo quando guardam segredos que podem destruir a vida de milhões - segredos que Wilde tem de desvendar antes que seja demasiado tarde.”

     

    https://www.presenca.pt/products/o-rapaz-do-bosque

  • “Cães maus não dançam" de Arturo Pérez-Reverte

    “«Nasci rafeiro, cruzamento de mastim espanhol e cão-de-fila brasileiro. Quando era cachorro, tive um daqueles nomes ternos e ridículos que põem aos cãezinhos recém-nascidos, mas já passou muito tempo desde então. Já me esqueci. Há muito que todos me chamam Negro.»

     

    Há vários dias que no bebedouro de Margot, local onde se reúnem os rafeiros do bairro, não há notícias de Teo nem de Boris. Por detrás deste desaparecimento adivinha-se algo tão sinistro que os restantes cães estão em permanente estado de alerta. Seguramente não se trata de nada de bom - é essa a desconfiança de todos e a certeza de Negro, que traz ainda no focinho e na memória as cicatrizes das lutas de outrora. Para ele, a sobrevivência é uma questão de instinto e de experiência. Leal e destemido, Negro embarca então numa perigosa viagem ao passado em busca dos seus dois grandes amigos.

     

    Neste romance negro assombroso, divertido e ao mesmo tempo esmagador, Arturo Pérez-Reverte narra, com a mestria de sempre, as aventuras de um cão num mundo bem diferente do dos humanos. Um mundo que se rege pelas mais elevadas regras - lealdade, inteligência e companheirismo - onde não há lugar para o politicamente correto ou para as convenções sociais. Um mundo em que por vezes há clemência para os inocentes e justiça para os culpados. Pleno de tensão dramática, Cães Maus Não Dançam brinda-nos com uma metáfora sobre a vida e os seus valores (ou a falta deles). “

  • “Suspense ou a arte da ficção" de Patricia Highsmith

    “Um ensaio de referência, que incide na escrita de ficção e a explica magistralmente, numa nova e melhorada tradução.

    Patricia Highsmith, célebre ícone da literatura norte-americana e mestre do romance de suspense, deixa o aviso: este pequeno livro não é um manual de instruções. E acrescenta que o único segredo para o sucesso de um escritor é a sua individualidade. Cabe-lhe a ele arregaçar as mangas, dizer o que tem a dizer e nunca desistir. Ainda assim, a arte do suspense — e da ficção literária em geral — contempla um conjunto de aspetos, desde a ideia inicial para a história à laboriosa fase de reescrita e revisão, que merecem a atenção da prestigiada autora e alguns conselhos práticos.

    Compondo um autorretrato enquanto escritora, Highsmith partilha neste valioso livro as inspirações, aprendizagens, êxitos e fracassos da sua longa e bem-sucedida carreira, oferecendo aos leitores uma chave para o seu sucesso.”

     

    https://cavalodeferro.pt/livros/suspense-ou-a-arte-da-ficcao

  • “Almoço de domingo” de José Luís Peixoto

    “Um romance, uma biografia, uma leitura de Portugal e das várias gerações portuguesas entre 1931 e 2021. Tudo olhado a partir de uma geografia e de uma família.

    Com este novo romance de José Luís Peixoto acompanhamos, entre 1931 e 2021, a biografia de um homem famoso que o leitor há de identificar — em paralelo com história do país durante esses anos. No Alentejo da raia, o contrabando é a resistência perante a pobreza, tal como é a metáfora das múltiplas e imprecisas fronteiras que rodeiam a existência e a literatura. Através dessa entrada, chega-se muito longe, sem nunca esquecer as origens. Num percurso de várias gerações, tocado pela Guerra Civil de Espanha, pelo 25 de abril, por figuras como Marcelo Caetano ou Mário Soares e Felipe González, este é também um romance sobre a idade, sobre a vida contra a morte, sobre o amor profundo e ancestral de uma família reunida, em torno do patriarca, no seu almoço de domingo.”

     

    https://www.quetzaleditores.pt/produtos/ficha/almoco-de-domingo/21332198

  • “Terra alta” de Javier Cercas

    “Um crime terrível abala a pacata comarca da Terra Alta: os donos da sua maior empresa, as Gráficas Adell, aparecem mortos, barbaramente assassinados. Quem toma conta do caso é Melchor Marín, jovem polícia e leitor voraz que chegou de Barcelona quatro anos antes. Sobre os ombros carrega um passado obscuro que o converteu numa lenda junto das forças policiais, mas que ele acredita ter enterrado sob uma vida feliz como marido da bibliotecária da povoação e pai de uma menina chamada Cosette, tal como a filha de Jean Valjean, o protagonista d'Os Miseráveis, o seu livro preferido.

    Com uma narrativa intensa e repleta de personagens memoráveis, este romance é uma reflexão lúcida sobre o valor da lei, a possibilidade de se fazer justiça e a legitimidade da vingança. Mas, mais do que tudo, é a epopeia de um homem em busca do seu lugar no mundo.”

    https://www.wook.pt/livro/terra-alta-javier-cercas/24102839

  • “Saga the witcher – batismo de fogo” de Andrzej Sapkowski

    “A Irmandade dos Magos foi aniquilada e Geralt ficou seriamente ferido. O bruxo deveria ser o guardião dos inocentes e o protetor dos necessitados perante os monstros poderosos e implacáveis que fazem dos humanos a sua presa. Mas agora que tempos sombrios pairam sobre o mundo, Geralt não poderá defender os homens enquanto não recuperar dos seus ferimentos.

    As guerras devastam todos os territórios e o futuro da magia está ameaçado. Mas as feiticeiras que sobreviveram estão determinadas a protegê-lo. É um momento conturbado, e Ciri, a herdeira do trono de Cintra, continua desaparecida. Surgem rumores de que ela estará na corte de Nilfgaard para casar com o imperador. Ferido ou não, Geralt tem uma missão a cumprir…”

    http://www.saidadeemergencia.com/produto/batismo-de-fogo/

  • “Saga the witcher – o tempo do desprezo” de Andrzej Sapkowski

    “Geralt, o bruxo, lutou contra monstros e demónios por toda a terra, mas até ele pode não estar preparado para o que está a acontecer com o seu mundo. Há intrigas, divergências e rebeliões por todo lado. Reis e exércitos estão a posicionar-se, ansiando por guerra e sangue. Os elfos ainda sofrem depois de décadas de repressão e o número de refugiados nas florestas aumenta a cada dia. Os Magos lutam entre si, alguns a soldo dos reis, outros na defesa dos elfos. E, neste caos, Geralt e Yennefer precisam de proteger Ciri, a criança da profecia que todos procuram. Pois quer viva quer morra, Ciri tem o poder de salvar o mundo… ou de o destruir.”

    http://www.saidadeemergencia.com/produto/o-tempo-do-desprezo/

  • “Saga the witcher – sangue dos elfos” de Andrzej Sapkowski

    “Durante mais de um século, humanos, anões e elfos conviveram em harmonia. Mas os tempos mudaram: a frágil paz que reinava foi quebrada e agora as raças lutam de novo entre si, conduzindo a mortes e chacinas.

    Geralt de Rivia, temido pela sua reputação de bruxo e assassino sem misericórdia, tem estado a aguardar o nascimento de uma criança profetizada, cujos poderes poderão mudar o mundo, para o bem ou para o mal.

    Com a ameaça de uma guerra sem fim a pairar sobre todas as nações, é posta em marcha uma perseguição à criança e aos seus poderes extraordinários. Caberá a Geralt, apenas com a ajuda de velhos amigos, protegê-la, pois o peso do fracasso será demasiado para todos.”

    http://www.saidadeemergencia.com/produto/o-sangue-dos-elfos/

  • “A cerâmica grega do Castelo de Castro Marim” de Ana Margarida Arruda, Daniela Ferreira e Elisa de Sousa

    “Inserida na colecção Estudos & Memórias, correspondendo ao número 13 desta série, trata-se de obra monográfica sobre a cerâmica grega recolhida no Castelo de Castro Marim.

    A análise teve em atenção não só os aspectos formais de cada uma das peças (mais de 300), mas também a sua cronologia, estabelecida em função dos dados da Ágora da Atenas e dos contextos estratigráficos no sítio algarvio. O conjunto é muito numeroso, constituindo o maior de todo o território português, e dos maiores em termos peninsulares.

    A presença expressiva de cerâmica importada da Grécia continental entre o século VI e o IV a.n.e. foi devidamente interpretada no quadro da Idade do Ferro no Sul de Portugal e das suas relações com o Mediterrâneo Central e Oriental. Por outro lado, a adopção de práticas sociais mediterrâneas, visíveis através da forma como os alimentos foram consumidos à mesa, tiveram o necessário destaque.”

    https://www.ulisboa.pt/noticia/centro-de-arqueologia-da-universidade-de-lisboa-lanca-nova-monografia

  • “Combate à corrupção: da teoria à prática” de Ary Ferreira da Cunha

    “O livro Combate à Corrupção é um guia que convida o leitor a trilhar um caminho da teoria à prática: conferindo-lhe as ferramentas para entender o problema da corrupção e participar com responsabilidade cívica para o seu debate. Procura assim contribuir para uma cidadania mais informada e empenhada em (re)ganhar centralidade na relação entre governantes e governados.

    O autor do prefácio, Guilherme d’Oliveira Martins, presidente do Tribunal de Contas, escreveu a propósito:

    «Estamos (…) perante um valioso contributo para o conhecimento do fenómeno [da corrupção], uma vez que, para lá da importante, adequada e útil abordagem teórica que apresenta, contém elementos de grande valia para os que no terreno têm a função e a missão de prevenir ou reprimir os atos de corrupção.» - Guilherme d’Oliveira Martins”

    https://www.quidjuris.pt/Default.aspx?Tag=BOOK&Id=1817

  • “Contos arrepiantes da História de Portugal: Idade Média medonha” de Rui Correia e António F. Nabais

    “Episódios arrepiantes, viscosos, tenebrosos, nojentos, brutais, horripilantes, sanguinários, asquerosos e que chegam mesmo, por vezes, a ser desagradáveis… da História de Portugal.

    Sim, é verdade, os cronistas e historiadores já andam a escrever estas histórias há centenas de anos. E muitas são só lendas. Mas não há lenda nenhuma que não tenha grandes verdades escondidas. Há tesourinhos bem escondidos que não queremos que deixem de ser contados. Quem não gosta que lhe contem boas histórias?

    OK, há ali coisas que são assim mais para o asqueroso. São um bocadinho nojentas e terríveis, são, mas é até por isso que gostamos delas. Quem não gosta de guerras, sangue e cabeças cortadas? Somos péssimos.

    Uma nova série de contos arrepiantes respeitantes a diferentes momentos da história de Portugal com muito humor à mistura.”

    https://www.wook.pt/livro/contos-arrepiantes-da-historia-de-portugal-idade-media-medonha-rui-correia/24061206

  • “Rough and rowdy ways“ de Bob Dylan

    Rough and Rowdy Ways é o mais recente álbum de Bob Dylan e o primeiro de canções originais em oito anos.O álbum duplo inclui 10 temas originais, os já conhecidos “I Contain Multitudes” e ainda “False Prophet”. O segundo disco irá incluir a faixa inédita de 16 minutos “Murder Most Foul”. Este disco de 10 novos temas é também o mais recente trabalho desde que o cantor recebeu o Nobel da Literatura em 2016.”

    https://www.fnac.pt/Bob-Dylan-Rough-and-Rowdy-Ways-2CD-CD-Album/a7815198

  • “Bombshell = O escândalo” realizado por Jay Roach

    “Durante décadas, Roger Ailes, um dos fundadores do canal norte-americano Fox News, teve perfeita noção do poder que exercia sobre todos à sua volta. A sua posição fê-lo ter boas relações com figuras proeminentes, especialmente ligadas ao Partido Republicano. A sua credibilidade, até aqui inabalável, é posta em causa quando Gretchen Carlson, ex-apresentadora de um dos mais importantes programas do canal, o acusa de a ter demitido após se ter recusado a ter relações sexuais com ele. Pouco depois, várias mulheres se juntam a Carlson, acusando Ailes de abuso de poder e assédio sexual no local de trabalho. Apesar de Ailes desmentir todas as acusações, é forçado a demitir-se.”

    https://www.fnac.pt/Bombshell-O-Escandalo-DVD-Charlize-Theron-DVD-Zona-2/a7612221

  • “The gentlemen = senhores do crime” realizado por Guy Ritchie

    “O norte-americano Mickey Pearson chega a Londres decidido a vender o seu negócio milionário e viver despreocupadamente de rendimentos, ao lado de Rosalind, a sua belíssima esposa. Contudo, por ser bastante cobiçado e estar relacionado com drogas ilegais, o negócio em questão vai envolver criminosos de toda a espécie e grau, desencadeando intrigas, chantagens, conspirações e assassinatos.”

    https://www.fnac.pt/The-Gentlemen-Senhores-do-Crime-DVD-Matthew-McConaughey-DVD-Zona-2/a7615780

  • “Bloodshot” realizado por David S. F. Wilson

    “Baseado no best-seller de banda desenhada, Vin Diesel protagoniza “Bloodshot” na pele de Ray Garrison, um soldado recentemente morto em combate e ressuscitado como o super-humano Bloodshot da empresa RST. Com um exército de nanotecnologia nas suas veias, Ray é uma força imparável - mais forte do que nunca e capaz de se curar instantaneamente. Mas, ao controlar o seu corpo, a empresa controla também a sua mente e as suas memórias. Agora, Ray não sabe o que é real e o que não é, mas está decidido a descobrir a verdade.”

    https://www.fnac.pt/Bloodshot-DVD-Vin-Diesel-DVD-Zona-2/a7878747

  • “O homem invisível” realizado por Leigh Whannell

    “Há já vários anos que Cecilia Kass se vê aprisionada a um relacionamento disfuncional com Adrian Griffin, um cientista brilhante mas com comportamentos de sociopata. Apesar de todas as tentativas de terminar a relação, ela nunca se conseguiu libertar. Um dia, contra todas as expectativas, ele suicida-se, deixando-lhe uma enorme quantia de dinheiro. Depois de uma calmaria inicial, Cecilia depara-se com uma série de situações inexplicáveis que a fazem suspeitar de que a morte de Adrian tenha sido encenada. Desesperada com o que lhe possa acontecer, ela pede ajuda, sem que ninguém acredite nas suas palavras ou faça algo para a proteger. Consciente de que agora enfrenta um inimigo invisível, e portanto muito mais perigoso, ela vai ter de encontrar coragem de o enfrentar sozinha.”

    https://www.fnac.pt/O-Homem-Invisivel-DVD-Elisabeth-Moss-DVD-Zona-2/a7615789

  • “Code 8: renegados” realizado por Jeff Chan

    “Num mundo onde menos de 4% da população nasce com poderes sobrenaturais, e os que nascem são renegados pela sociedade, Connor Reed, um dos especiais, é forçado a cometer pequenos crimes para poder pagar os tratamentos da mãe e é agora perseguido pela polícia.”

    https://www.fnac.pt/Code-8-Renegados-DVD-Kari-Matchett-DVD-Zona-2/a7794826

  • “Jojo Rabbit” realizado por Taika Waititi

    “Vencedor Óscar para Melhor Argumento Adaptado

    Vencedor Prémio Bafta para Melhor Argumento Adaptado

    A acção decorre na Alemanha, durante Segunda Grande Guerra. Jojo tem dez anos e é um fervoroso adepto do nazismo. Tendo Adolf Hitler como ídolo e amigo imaginário, mal pode esperar para se tornar membro da Juventude Hitleriana, que transforma crianças e adolescentes comuns em perfeitos espécimes da raça ariana. Até ao dia em que conhece uma rapariga judia que a mãe mantém escondida no sótão de sua casa. Se, a princípio, Jojo não consegue esconder a aversão que ela lhe causa, com o passar do tempo, acaba seduzido pela sua humanidade. Essa amizade vai vira-lhe o mundo do avesso e fazê-lo colocar em causa tudo aquilo em que sempre acreditou.”

    https://www.fnac.pt/Jojo-Rabbit-DVD-Roman-Griffin-Davis-DVD-Zona-2/a7474772

  • “Armados em espiões” realizado por Troy Quane e Nick Bruno

    “Lance Sterling é um super-espião famoso que já salvou o mundo várias vezes, muitas delas com a ajuda das engenhocas desenvolvidas por um jovem cientista. Um dia, uma das invenções do seu ajudante dá para o torto e Sterling transforma-se num pombo. É com essa desvantagem que terá de conseguir salvar o dia uma vez mais.”

    https://www.fnac.pt/Armados-em-Espioes-DVD-RACHEL-BROSNAHAN-JARRETT-BRUN-DVD-Zona-2/a7614921

  • “Bora lá” realizado por Dan Scanlon

    “No passado, o mundo estava envolto em magia. Contudo, como não era fácil de controlar, decidiu-se acabar com todas as suas manifestações. Portanto, elfos, fadas, trolls, pégasos e unicórnios habitam agora um mundo moderno, em relativa harmonia. A morar nos subúrbios de uma grande cidade com a mãe, os jovens elfos Ian e Barley Lightfoot recebem uma notícia extraordinária: antes de morrer – quando Barley era muito pequeno e Ian ainda não tinha nascido –, o pai deixou-lhes um cajado mágico que, se bem utilizado, o fará regressar à vida por 24 horas. Desejosos por esse momento, os dois irmãos vão ter de aprender a reavivar a magia contida nos seus corações.

    Produzido pelos estúdios Pixar e Disney, um filme de animação realizado por Dan Scanlon ("Monstros: A Universidade"), segundo um argumento seu, de Jason Headley e Keith Bunin. Na versão original, conta com as vozes de Tom Holland, Chris Pratt, Julia Louis-Dreyfus, Octavia Spencer, Ali Wong, Lena Waithe, Mel Rodriguez, Wilmer Valderrama, Tracey Ullman, Kyle Bornheimer, Dave Foley, George Psarras e John Ratzenberger.”

    https://www.fnac.pt/Bora-La-Onward-DVD-Chris-Pratt-DVD-Zona-2/a7780958

  • “Húmus” de Raul Brandão

    “O romance «Húmus» é um dos livros mais singulares da Literatura Portuguesa, e certamente o título que inscreveu para sempre o nome do seu Autor na galeria dos imortais das letras portuguesas. Escrito num estilo marcadamente original e moderno, este romance marcou o início de uma nova era na literatura do século XX.

    Esta edição, feita a partir da última revisão feita por Raul Brandão, insere-se no programa da comemoração dos 150 Anos do Nascimento de Raul Brandão e do centenário do livro «Húmus».”

    https://www.almedina.net/h-mus-1564066544.html

  • “Pequenos acidentes” de Sarah Vaughan

    “Qual é o pior pesadelo de uma mãe?

    Jess Curtis é uma mãe dedicada e com uma família perfeita. Tem três filhos, de quem cuida com reservas ilimitadas de paciência, energia e amor. Liz Trenchard é amiga dela há mais de dez anos, e é assim que a vê. Mas tudo muda quando Jess aparece com a filha bebé nas urgências do hospital em que Liz trabalha, colocando-a perante um dilema. Como pediatra, Liz tem o dever de proteger todas as crianças que dão entrada no seu serviço, e a bebé da amiga, com uma fratura craniana, levanta de imediato suspeitas. Jess não se apercebeu de que a filha tinha batido com a cabeça, e a história que conta não é compatível com a lesão da bebé.

    E até que ponto conhecemos realmente um amigo?

    À medida que pensamentos sombrios atormentam Jess e segredos cuidadosamente guardados começam a vir ao de cima, Liz começa a pôr em causa tudo o que achava saber sobre a amiga, e também sobre si própria. A verdade acabará por ser revelada, e trará consigo factos que muitos prefeririam nunca ter conhecido.

    «Sombrio, desesperante e envolvente.» — Cosmopolitan”

    https://topseller.pt/livros/pequenos-acidentes

  • “Palavras que tocam a alma” de Benjamin Ferencz com Nadia Khomami

    “Durante mais de cem anos, Benjamin Ferencz desafiou o destino. Emigrante judeu, cresceu num dos mais violentos bairros de Nova Iorque (Hell’s Kitchen). Muito pequeno, constante vítima de bullying, entrou para a escola aos oito anos. Mas recuperou o tempo perdido, conquistou uma bolsa para Harvard, saiu de lá advogado.

    Na Segunda Guerra Mundial foi voluntário, desembarcou na Normandia, lutou em várias frentes, ganhou cinco medalhas. E quando tudo acabou, ajudou a libertar os campos de concentração, desenterrou cadáveres com as próprias mãos, à procura de provas para incriminar os culpados.

    Aos 27 anos caiu-lhe sobre os ombros a enorme responsabilidade de acusar os criminosos de guerra nazis. Foi nomeado procurador principal do Tribunal de Nuremberga, que ele próprio ajudara a criar.

    Nunca mais parou de fazer justiça. Quando este livro foi publicado era já centenário, dono de uma memória admirável e com extraordinárias lições de vida para partilhar: sobre a educação, o caminho da vida, a resistência à adversidade, o amor. Sobretudo o amor. Pela mulher, pelos filhos, pelo próximo, pela justiça (ajudou a fundar o Tribunal de Haia).

    Ben Ferencz testemunhou horrores indescritíveis, mas nunca se deixou abater. Foi com um sorriso que se agarrou à vida e à crença de que podemos fazer mais e melhor.”

    http://luadepapel.pt/pt/desenvolvimento-pessoal/palavras-que-tocam-a-alma/

  • “Quem é amado nunca morre” de Victoria Hislop

    “Atenas, abril de 1941. Tendo resistido a uma primeira tentativa de invasão, a Grécia é ocupada pelas potências do Eixo. Após décadas de incerteza, o país encontra-se dividido entre a direita e a esquerda políticas. Themis, então com quinze anos, vem de uma família separada por essas diferenças ideológicas. A ocupação nazi não só aprofunda a discórdia entre aqueles que a rapariga ama, como reduz a Grécia à miséria. É impossível ficar indiferente: na fome que se seguiu à ocupação, e que lhe levou os amigos, os atos de resistência são quase um imperativo moral para ela.

    Porém, o sucesso de um dos movimentos de resistência mais eficazesna europa ocupada volta-secontra o próprio e, com o fim da ocupação, advém a guerra civil. Themis junta-se ao exército comunista, onde experimenta os extremos do amor e do ódio. Quando por fim é presa nas ilhas do exílio, encontra outra mulher cuja vida se entrelaçará com a sua de maneiras que nenhuma delas poderia antecipar, e descobre que deve pesar os seus princípios contra o desejo de viver.

    Um romance poderoso, que lança luz sobre a complexidade e o trauma do passado da Grécia, a partir da vida extraordinária de uma mulher comum.”

    https://www.wook.pt/livro/quem-e-amado-nunca-morre-victoria-hislop/24253637

  • “Pede um desejo” de Tillie Cole

    “Aos dezanove anos, o inglês Cromwell Dean é uma estrela em ascensão no mundo da música eletrónica. Mas quanto mais fama ganha, menos sente e menos quer sentir. Até que ela entra na sua vida. Bonnie Farraday não se deixa intimidar pela fachada atrás da qual ele se esconde. Consegue, até, ver bastante bem para além dela… e o que vê é a escuridão vazia do seu interior.

    Quando Cromwell decide ir estudar música para os Estados Unidos, não imagina voltar a encontrá-la. E certamente não espera que ela fique na sua cabeça como uma música em modo de repetição.

    Bonnie vive para a música, e não suporta ver alguém tão especial como Cromwell desperdiçar o seu talento. Ele está a esconder-se do passado, e ela sabe disso. E por muito que se tente afastar, há sempre algo que a chama de volta.

    Ambos conhecem a dor e a tristeza. Ambos se escondem atrás das máscaras que criaram.

    Mas quando a mais negra das sombras cai sobre Bonnie, cabe a Cromwell ser a sua luz. Terá de a ajudar a encontrar a música perdida. Terá de a manter forte com uma sinfonia que só ele pode compor.

    Uma sinfonia de esperança.

    Uma sinfonia de amor.

    Uma sinfonia só deles.”

    https://www.bertrand.pt/livro/pede-um-desejo-tillie-cole/24259316

  • “Super digestão” de Megan Rossi

    “Melhorar a saúde dos seus intestinos é o segredo para uma vida longa e saudável. É também o segredo para acabar com os inchaços e dores inexplicáveis.

    Quer procure uma barriga lisa, perder peso, mais energia ou menos ansiedade, tudo passa por ter os seus sistemas digestivo e intestinal a funcionar na perfeição. Com base nos estudos científicos mais recentes, a Dra. Megan Rossi mostra o que fazer e comer, passo a passo, e como é importante sabermos ouvir o nosso corpo para melhorar os níveis de humor e fortalecer o sistema imunitário. Super Digestão oferece ainda várias sugestões de refeições e receitas fáceis e deliciosas para estimular o intestino, dicas e testes para avaliar a sua saúde intestinal e conselhos para diagnosticar intolerâncias alimentares.

    "Aprendi tanto com a Megan, cuidar dos meus intestinos passou a ser uma prioridade e sinto-me muito melhor desde então. Ela é uma enorme inspiração para nós” - Ella Mills, autora e fundadora de Deliciously Ella”

    http://luadepapel.pt/pt/saude/super-digestao/

  • “Mensagens do avô: crónicas do bicho mau” de António Mota

    “Verdadeiros tesouros para ler, reler e partilhar, estas Mensagens do Avô são antes de mais um surpreendente espelho das emoções que moldam o relacionamento entre avós e netos.

    Intemporais e universais, elas ficarão para a posteridade como uma ode ao amor genuíno.”

    https://www.bertrand.pt/livro/mensagens-do-avo-antonio-mota/24302817

  • “O infinito num junco” de Irene Vallejo

    “A Invenção do livro na antiguidade e o nascer da sede dos livros.

    Este é um livro sobre a história dos livros. Uma narrativa desse artefacto fascinante que inventámos para que as palavras pudessem viajar no tempo e no espaço. É o relato do seu nascimento, da sua evolução e das suas muitas formas ao longo de mais de 30 séculos: livros de fumo, de pedra, de argila, de papiro, de seda, de pele, de árvore, de plástico e, agora, de plástico e luz.

    É também um livro de viagens, com escalas nos campos de batalha de Alexandre, o Grande, na Villa dos Papiros horas antes da erupção do Vesúvio, nos palácios de Cleópatra, na cena do homicídio de Hipátia, nas primeiras livrarias conhecidas, nas celas dos escribas, nas fogueiras onde arderam os livros proibidos, nos gulag, na biblioteca de Sarajevo e num labirinto subterrâneo em Oxford no ano 2000.

    Este livro é também uma história íntima entrelaçada com evocações literárias, experiências pessoais e histórias antigas que nunca perdem a relevância: Heródoto e os factos alternativos, Aristófanes e os processos judiciais contra humoristas, Tito Lívio e o fenómeno dos fãs, Sulpícia e a voz literária de mulheres.

    Mas acima de tudo, é uma entusiasmante aventura coletiva, protagonizada por milhares de personagens que, ao longo do tempo, tornaram o livro possível e o ajudaram a transformar-se e evoluir - contadores de histórias, escribas, ilustradores e iluminadores, tradutores, alfarrabistas, professores, sábios, espiões, freiras e monjes, rebeldes, escravos e aventureiros.

    É com fluência, curiosidade e um permanente sentido de assombro que Irene Vallejo relata as peripécias deste objeto inverosímil que mantém vivas as nossas ideias, descobertas e sonhos. E, ao fazê-lo, conta também a nossa história de leitores ávidos, de todo o mundo, que mantemos o livro vivo.

    Um dos melhores livros do ano segundo os jornais El Mundo, La Vanguardia e The New York Times (Espanha).”

    https://www.bertrand.pt/livro/o-infinito-num-junco-irene-vallejo-moreu/23990717

  • “Menina, mulher, mãe” de Tânia Correia

    “Em cada mulher podem viver 3 M’s: da menina que já foram, da mulher que são e da mãe em que se tornaram. Tânia Correia, psicóloga e autora do blogue e página de Facebook 3m’s, fez da sua maternidade uma das alturas de aprendizagem mais importantes da sua vida, optando ao mesmo tempo por partilhar com outros esse percurso, através da sua escrita, com o objectivo de ajudar outras mulheres a viver em pleno e sem culpa esse equilibro entre essas três facetas que constroem cada mulher.

    Este livro é a sumula de conhecimentos, ideias, dicas, formas de estar, agruras, resoluções, momentos, desafios, alegrias e tristezas não só da sua autora, mas das muitas mulheres que tem vindo a acompanhar e que agora partilha com as leitoras por forma a conseguir amparar cada vez mais mães a perceberem que não estão sozinhas nesta viagem.”

    https://www.wook.pt/livro/menina-mulher-e-mae-tania-correia/24356932

  • “Pense com o coração: compreenda as suas emoções para viver melhor” de Gema Sánchez Cuevas e Valeria Sabater Zarzo

    “Se acha que é um analfabeto emocional ou vive com alguém que é, aqui está o seu livro. Ajudá-lo-á a entender as suas emoções para viver melhor; irá ensiná-lo a gerir esse vulcão que às vezes sente no seu interior – a raiva -, essa incómoda companheira que é a tristeza ou dizer adeus à vergonha.

    Usando o coração no seu cérebro irá superar as barreiras emocionais que tem dentro de si, terá a vida sob controlo e conseguirá alcançar a psico-plenitude.

    NESTAS PÁGINAS ENCONTRARÁS:

    • Kit de estratégias para gerir emoções
    • As 3 chaves do analfabetismo emocional
    • Recomendações para desaprender aquilo que lhe disseram sobre as emoções e não é verdade
    • Diário de bordo para crescer com as suas emoções
    • Noções de empatia, o fio invisível que fortalece as nossas relações…”

    https://www.esferadoslivros.pt/livros/manuais-e-guias/pense-com-o-coracao/

  • “Contracorpo” de Patrícia Reis

    “Uma mulher fica viúva com dois filhos. Alguns anos depois da morte do marido, a vida não se refez e o filho mais velho, agora adolescente, cresce contra a mãe, num silêncio obstinado que só quebra nas histórias que se conta para adormecer e nos desenhos que faz de forma compulsiva. Com o anúncio do chumbo escolar, a mãe decide, sem grandes reflexões, fazer uma viagem com este filho, deixando o pequeno com os avós. Não se trata de uma viagem com destino, mas antes uma procura. Contracorpo é um livro contra o silêncio e sobre o silêncio. É uma história de procura de identidades distintas - da mulher e do quase- homem -  e ainda de descobertas. Uma mãe nunca é o que se espera. Um filho é sempre uma surpresa. O encontro dá-se enquanto procuram caminhos, de Lisboa a Roma, num jogo de claro escuro. Como se tudo fosse uma imagem.

    Contracorpo integrou a seleção de melhores livros de 2013 dos jornais Expresso e Público.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/romance/contracorpo/

  • “Notas de inverno sobre impressões de verão” de Fiódor Dostoievski

    “Este livro resulta da primeira viagem de Dostoievski ao estrangeiro, efectuada em 1862.

    Desafiado pelos amigos a descrever as suas impressões, o autor de Crime e Castigo respondeu através de uma mistura de ensaio e ficção.

    A obra reúne observações de viagem, esboços, comentários, que no conjunto constituem uma tipologia mais imaginária do que real do Ocidente. Em muitas das cenas descritas, situadas em Paris, Londres ou em carruagens de comboio, encontramos a prosa incisiva do autor de Memórias do Subterrâneo e Os Demónios.”

    https://relogiodagua.pt/produto/notas-de-inverno-sobre-impressoes-de-verao/

  • “Cuscuz: identidades e recriações, Magrebe, Portugal e Brasil do século XVI à atualidade” coordenado por Isabel Drumond Braga

    “Neste livro estuda-se de forma rigorosa, clara e acessível a trajetória do cuscuz (produto e prato originário do Magrebe) em Portugal e, posteriormente, no Brasil. Trata-se de um prato identitário ligado à sociabilidade nos momentos de passagem, como casamentos e mortes. Aborda-se ainda o cuscuz enquanto consumo quotidiano e festivo das comunidades de mouriscos e de cristãos-velhos desfavorecidos, bem como o alargamento dos apreciadores à casa real; a sua presença nos restaurantes étnicos da atualidade e a sua preparação enquanto objeto de recriação por parte dos chefs e das famílias. Refere-se também a especificidade do cuscuz na ilha da Madeira e em Trás-os-Montes, a identificação das adaptações no Brasil, as diferenças regionais e o levantamento e publicação das receitas de cuscuz do passado, algumas delas existentes em receituários manuscritos portugueses.”

    https://relogiodagua.pt/produto/cuscuz/

  • “Rua de Paris em dia de chuva” de Isabel Rio Novo

    “Um romance fascinante sobre o poder da arte, escrito por uma das vozes mais relevantes da ficção portuguesa contemporânea.

    Na capital francesa, vivem-se tempos de profundas transformações, com a abertura dos grandes bulevares e o despertar de uma nova corrente artística, o Impressionismo, que irá alterar o olhar dos indivíduos sobre a arte e o mundo. Mas que história de amor à distância poderão experimentar o protagonista deste romance – um diletante chamado Gustave Caillebotte, amigo e mecenas de pintores como Monet e Renoir e, afinal, ele próprio um artista de primeira linha – e a sua Autora, que há anos persegue a história deste milionário triste e decide agora escrever sobre ela? E que papel desempenha nessa relação a enigmática Helena, uma professora de História da Arte que parece saber tudo sobre Caillebotte?

    Combinando o impulso histórico com a tentação do fantástico, Isabel Rio Novo – duas vezes finalista do Prémio LeYa – oferece-nos com Rua de Paris em Dia de Chuva uma peça literária fascinante acerca do poder da arte, que a confirma como uma das vozes mais relevantes da ficção portuguesa contemporânea.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/romance/rua-de-paris-em-dia-de-chuva/

  • “A aventura de um fotógrafo em La Plata” de Adolfo Bioy Casares

    “«Um inventor de tramas que se enraízam na ambiguidade da realidade.» - Enrique Vila-Matas, El País

    Acabado de chegar à capital La Plata no seu primeiro trabalho, o jovem e inocente fotógrafo Nicolás Almanza é de imediato adotado pela duvidosa família Lombardo. Mas o que pretenderá realmente o velho don Juan? Será ele exatamente o que aparenta ser ou antes a encarnação do próprio Diabo, como previnem, preocupados, os amigos do jovem fotógrafo? E estarão Julia e Griselda, as duas belas filhas de don Juan, a ser sinceras, ao competirem pela sua atenção ou serão apenas cúmplices num plano secreto cujo sentido lhe escapa? E o que dizer do misterioso poder de atração que Almanza parece inesperadamente exercer sobre todas as mulheres de La Plata?

    Último romance publicado por Bioy Casares, A Aventura de um Fotógrafo em La Plata evidencia de forma derradeira o talento do grande escritor sul-americano para transformar a dúvida e a ambiguidade do real em paisagem misteriosa e equívoca, próxima do sonho ou do pesadelo.

    «Um mestre, e um dos mais importantes escritores latino-americanos de sempre.» - Público, Ípsilon”

    https://cavalodeferro.pt/livros/a-aventura-de-um-fotografo-em-la-plata

  • “O adolescente” de Fiódor Dostoievski

    “O Adolescente foi publicado três anos depois de Os Demónios e cinco anos antes de Os Irmãos Karamázov.

    O narrador e protagonista do livro é Arkádi Dolgorúki, um ingénuo jovem de 19 anos repleto de ambição e opiniões.

    Filho ilegítimo de um latifundiário, Dolgorúki encontra-se dividido entre o desejo de expor as injustiças do pai e de conquistar o seu amor.

    Inspirado por um sonho incoerente de comunhão e tendo na sua posse um misterioso documento que acredita que lhe dá poder sobre os outros, parte para São Petersburgo com a intenção de confrontar o pai que mal conhece.

    «O Adolescente é o mais cativante romance de Dostoievski.»[Konstantín Mochulski, autor de Dostoievski: Obra e Vida]”

    https://relogiodagua.pt/produto/o-adolescente/

  • “O incrível sistema imunitário” de Daniel M. Davis

    “A pandemia da COVID-19 veio levantar inúmeras questões: Porque é que o sistema imunitário de um idoso é menos eficaz contra um novo vírus? Em que medida é que estados de doença afetam o sistema imunitário? E o que é que cada um de nós pode fazer para fortalecer a sua imunidade? Em O Incrível Sistema Imunitário, Daniel M. Davis explica o que os cientistas já sabem para responder a estas perguntas.

    O conceituado imunologista relata a história extraordinária dos enigmas resolvidos, das vidas que se perderam e também das que foram salvas para chegarmos ao que hoje sabemos sobre o nosso sistema imunitário: como é afetado pelo stress, pelo sono e pela idade, e a importância que tem no combate a doenças como o cancro, a diabetes ou a artrite e na luta contra bactérias e vírus desconhecidos. Dele depende a nossa sobrevivência.”

    https://www.ideiasdeler.pt/produtos/ficha/o-incrivel-sistema-imunitario/23913714

  • “A guerra civil (Farsália)” de Lucano

    “Tradução do latim coordenada por luís manuel gaspar cerqueira.

    A Guerra Civil (Farsália) foi escrito pelo jovem Lucano entre o ano 59 d. C. e março de 65, quando, aos vinte e cinco anos, foi forçado a abrir as veias por ordem do imperador Nero, que lhe invejava o talento poético.

    «O assunto do poema é a guerra civil travada cem anos antes de Lucano, entre César e Pompeio, na sequência do falhanço do primeiro triunvirato. O arco cronológico do poema começa em 49 a. C., com a travessia do Rubicão e o início da guerra, e termina com César cercado pelos Egípcios em Alexandria nos finais de 48, inícios de 47.» - [Da Introdução]”

    https://relogiodagua.pt/produto/a-guerra-civil-farsalia/

  • “A bibliotecária” de Salley Vickers

    “Em 1958, Sylvia Blackwell, recém-licenciada de uma das novas escolas de bibliotecários do pós-guerra, assume um emprego como bibliotecária infantil numa biblioteca degradada na vila de East Mole.

    A sua missão é despertar o entusiasmo das crianças de East Mole pela leitura. Mas o caso amoroso de Sylvia com o médico da vila casado e a amizade com a sua filha precoce, o filho do vizinho e a neta negligenciada da senhoria acendem os preconceitos da comunidade, ameaçando-lhe o emprego e a própria existência da biblioteca, com consequências dramáticas para todos.

    A Bibliotecária é um testemunho comovente da alegria de ler e do poder dos livros em mudar e inspirar todos nós.”

    https://culturaeditora.pt/products/a-bibliotecaria

  • “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” de Ana Margarida de Carvalho

    “Dois homens caminham. Um chega à terra para matar saudades do mar; outro supera um carreiro íngreme com uma carga de azeitonas. O primeiro vem vergado ao peso da vingança. O segundo ao da sobrevivência. Cruzam-se numa estrada, perdida, no Alentejo, junto à fronteira. De Espanha chegam os ecos dos fuzilamentos e os foragidos da Guerra Civil. Transaccionam-se mercadorias, homens, mulheres e até bebés. No espaço de um dia, que medeia dois entardeceres, muitas mulheres de cabelos ensarilhados pelo vento hão-de conspirar num velho depósito de água rachado; duas amigas separam-se e unem-se por causa de um homem que se dissolve na lama. Um rapaz alentejano voltado para as coisas da existência é por todos traído, mas não tem vocação para desforras, e perde o falcão, a sua máquina alada de matar… Duas comunidades antagónicas, que se hostilizam, guerreiam e dependem uma da outra: uma à míngua, entre vendavais e pó; outra prospera, em traficâncias várias, cercada por pântanos, protegida por um tirano local e pela polícia política, abriga todos os rejeitados pela sociedade, malteses, republicanos espanhóis, fugitivos, cuspidores de fogo, ciganos, artistas de circo, evadidas de conventos, bêbados e arruaceiros. As velhas acusações transformam-se, a guerra tem renovados motivos, a raiva escolhe outros métodos. O grito do corpo continua o mesmo, tal como o gesto que fazemos para proteger a cabeça.”

    https://relogiodagua.pt/produto/o-gesto-que-fazemos-para-proteger-a-cabeca/

  • “Bucareste-Budapeste: Budapeste-Bucareste” de Gonçalo M. Tavares

    “A Fotografia — História do Vampiro de Belgrado

    Episódios da Vida de Martha, Berlim

    Um homem que vai ao outro lado da fronteira buscar a sua mãe morta, e dois homens que levam a cabeça de uma estátua: em Bucareste-Budapeste.

    As imagens que um vampiro devora em Belgrado e uma mulher que quer limpar, de uma ponta à outra, as pessoas imundas de Berlim.”

    https://relogiodagua.pt/produto/bucareste-budapeste-budapeste-bucareste/

  • “Mrs Palfrey no Claremont” de Elizabeth Taylor

    “«Nomeado pelo The Guardian como um dos “100 melhores romances de sempre” e finalista do Man Booker Prize, Mrs Palfrey no Claremont é uma visão irónica e compassiva da amizade entre uma mulher de idade e um jovem autor, escrita por uma romancista magnífica, o elo de ligação que faltava entre Jane Austen e John Updike.» [Independent]

    Numa chuvosa tarde de domingo, em janeiro, Mrs Palfrey, que recentemente se tornara viúva, chega ao Hotel Claremont, onde irá passar o resto dos seus dias.

    Os outros hóspedes são pessoas — altamente perturbadas e excêntricas — que vivem de migalhas de afeição e de um interesse obsessivo pelas refeições servidas no hotel. Juntos, lutam contra os seus inimigos gémeos: o tédio e a morte.

    Até que, um dia, Mrs Palfrey conhece o jovem e belo escritor Ludo, dando início a uma amizade pouco convencional…”

    https://relogiodagua.pt/produto/mrs-palfrey-no-claremont/

  • “Pacto de silêncio” de André Pinto Bessa

    “A narrativa começa em meados dos anos oitenta, recua até aos anos quarenta passa pelo final dos anos sessenta, atravessa o 25 de Abril e o PREC para acabar nos nossos dias.

    Os excessos de um jantar de despedida de solteiro, as manobras políticas na última remodelação ministerial de Salazar, os segredos de uma família inglesa do Douro, as ligações de uma família italiana refugiada em Portugal no tempo de Mussolini, um grupo de interesses habituado a influenciar as políticas europeias e um especialista em geotecnia que descobre uma perigosa conspiração.

    Eis os ingredientes deste romance que com ritmo e intensidade nos transporta pelos meandros de uma cabala, inicialmente quase inocente, mas que se revela progressivamente mais maquiavélica e tenebrosa. A amizade de quatro jovens e as suas ambições são postas à prova.

    E eles acomodam-se. Mas um deles vai viver intensamente o problema de consciência, dividido entre a lealdade e a integridade, entre as conveniências e a mulher da sua vida.”

    https://www.bertrand.pt/livro/pacto-de-silencio-andre-pinto-bessa/14306008

  • “Saúde para elas” de Andreia de Almeida

    “Pegou neste livro porque sente que há muito que não conhece sobre si. A mulher é um ser especial que passa por várias fases da vida, para não falar de todas as etapas, obstáculos e desafios de cada período menstrual. Será que a culpa é toda das hormonas?

    Este livro procura inspirar todas as mulheres, mostrando que cada fase da vida pode ser uma experiência incrível e fortalecedora para o corpo, a mente e os relacionamentos.

    O que vai descobrir: os básicos da abordagem anti-aging - nutrição funcional, medicina lifestyle, suplementação e otimização hormonal;

    informações vitais sobre como aliviar sintomas relacionados com o ciclo menstrual (cólicas menstruais, irritabilidade, aumento do apetite);

    o impacto que as hormonas têm em cada fase da vida da mulher (síndrome pré-menstrual, perimenopausa e menopausa) e conselhos práticos para se sentir melhor;

    sexualidade no feminino - como ter uma vida sexual mais gratificante em qualquer idade e depois da menopausa;

    fazer as pazes com o ponteiro da balança - como gerir o peso em cada fase de vida;

    tudo o que precisa de saber sobre a função da tiroide e a sua influência na gestão do peso e nas emoções;

    como reequilibrar as hormonas e atrasar o envelhecimento;

    as «moléculas da juventude» - o que podemos fazer para sermos mais jovens e felizes.

    Este livro procura inspirar as leitoras e ajudá-las a compreender e a aliviar os seus sintomas, para que possam realmente prosperar na sabedoria de cada etapa de vida da mulher.

    Com uma voz médica no feminino, este kit de sobrevivência, pensado para mulheres, deseja partilhar conhecimentos inspiradores para a felicidade, a longevidade e a vitalidade.

    Cada capítulo apresenta histórias, recomendações e dicas práticas para ajudar todas as mulheres a desenvolverem uma conexão com o próprio corpo e as soluções para os problemas mais comuns. Vem acompanhado por um capítulo dedicado aos homens: o manual de instruções dos homens.

    O recurso vital para mulheres de todas as idades, tenham 20 ou mais de 60 anos.”

    https://www.bertrand.pt/livro/saude-para-elas-andreia-de-almeida/23580751

  • “Escrita em dia” de Margarida Fonseca Santos

    “Escreve para si próprio mas apetece-lhe reinventar a sua escrita?

    Escreve num blogue?

    Gostaria de ter mais técnicas para aperfeiçoar os seus textos?

    A arte da escrita pode ser trabalhada todos os dias e com os exercícios deste livro o leitor vai aprender a:

    - Explorar diferentes formas de estruturar um texto

    - Variar a caracterização das personagens

    - Enriquecer o seu texto com diferentes estilos narrativos

    - Criar diálogos mais vivos e ritmados

    - Encontrar novos caminhos para a sua escrita

    Ao longo de 40 níveis, no total de 80 exercícios, poderá expandir, encurtar, revitalizar e repensar a sua escrita, encontrando o outro lado dos textos, manipulando significados até se surpreender, mergulhando nas personagens para lhes dar ainda mais vida e comovendo-se com as soluções.

    Com o apoio de ideias simples e diretas e conselhos práticos, este livro pretende levá-lo por caminhos que não costuma usar, descobrindo a escrita de forma divertida e sempre diferente. E fica prometido que irá sentir os efeitos destes exercícios!”

     

    https://www.clubedoautor.pt/livro/escrita-em-dia

  • “Porquê?” de Umberto Galimberti

    “Pensas que a filosofia é algo antigo, abstrato e aborrecido? Este livro prova que estás enganado! Através das histórias de cem filósofos e pensadores de todas as épocas e de todas as partes do mundo, descobrirás que a filosofia está mais viva do que nunca.

    Na companhia de Sócrates, Hipácia, Kant e Voltaire, vais aprender a refletir sobre diferentes temas, como os atos naturais ao ser humano, a linguagem, o amor e a existência de Deus.

    Uma história por dia, que começa com perguntas e curiosidades do quotidiano que te vão incentivar a participar nos pequenos e grandes desafios e treinar-te a raciocinar como um grande filósofo.

    Um livro para crianças e adultos, para todos aqueles cuja mente está em constante atividade e que não ficam satisfeitos com respostas estereotipadas.”

     

    https://www.presenca.pt/products/porque-historias-e-pensamentos-de-100-filosofos-para-m

  • “António Variações” de Bruno Horta

    “António Variações foi fugaz como um cometa. Mas à medida que o tempo passa, mais viva se torna a lenda. Diz-se que António Variações era um artista à frente do seu tempo. Que era talvez demasiado moderno para um Portugal ainda tão cinzento e conservador, um país cujas aldeias perdidas no interior tinham parado no tempo e não tinham espaço para espíritos inquietos como o de António Joaquim Rodrigues Ribeiro.”

     

    https://www.fnac.pt/Antonio-Variacoes-Uma-Biografia-Bruno-Horta/a8056300

  • “Fuzileiros especiais pronto para o combate” de António Vasconcelos Raposo

    “Ao longo dos anos que durou a Guerra Colonial, foram milhares os que fizeram parte dos Destacamentos de Fuzileiros Especiais. Esta obra dá a conhecer como foi organizada a vida de uma das mais importantes tropas de elite das Forças Armadas Portuguesas, através das experiências do Destacamento de Fuzileiros Especiais n.º 2, sediado no Posto de Marinha do rio Lunguébungo, em Angola.”

     

    https://www.ancora-editora.pt/pt/detalhe-do-livro/fuzileiros-especiais-prontos-para-o-combate

  • “Os que desapareceram em Auschwitz” de Michael Rosen

    “Quando Michael era criança, costumava ouvir histórias acerca dos tios-avós: um deles era relojoeiro e o outro era dentista. Existiam antes da guerra, dizia o pai de Michael, mas depois nunca mais ninguém teve notícias deles.

     

      Durante muitos anos, Michael Rosen tentou descobrir o que realmente lhes aconteceu. Conversou com familiares, pesquisou na Internet, leu livros e fez viagens até à América e França.

     

      A história que desvendou, de perseguição e angústia, desde então inspira a sua poesia. Neste livro, a juntar à prosa límpida de Rosen, poemas mais antigos e recentes ajudam a contar uma história verídica e extraordinária que constitui uma poderosa ferramenta para explicar o Holocausto aos mais jovens.”

    https://www.wook.pt/livro/os-que-desapareceram-em-auschwitz-michael-rosen/24302858

  • “O corpo não esquece” de Bessel A. van der Kolk

    “Associamos o stress pós-traumático a pessoas que viveram situações extremas, como veteranos de guerra ou vítimas de violação. Mas basta um acidente de automóvel para nos provocar danos que se prolongarão ao longo dos anos; ou ter um familiar alcoólico; ou testemunhar uma cena de grande violência.

    O trauma traz consigo um mundo invisível de consequências, diz-nos o Dr. Bessel van der Kolk, como pesadelos, insónias, acessos de fúria ou de pânico. O trauma fica gravado nas entranhas, agarra-se a cada fibra do corpo, molda o próprio cérebro.

    Por causa dele, perde-se a capacidade de sentir prazer, de estabelecer relações, de confiar. Ou sequer de falar, como se a cada flashback do horror a vítima sofresse um AVC.

    O Corpo Não Esquece é uma obra absolutamente superlativa sobre o trauma, as suas consequências e a sua cura. Escrita por um dos maiores especialistas mundiais na área, com um humanismo e compaixão tocantes, recorda a luta da medicina para decifrar o stress traumático; conta as histórias das pessoas que dele sofrem; revela os caminhos percorridos para a cura, desde os remédios tradicionais até aos mais recentes, como o neuroflashback.

    Sugere alternativas que visam reeducar o corpo ativando a natural neuroplasticidade do cérebro, como o yoga, a meditação ou o teatro. Baseado em mais de 30 anos de trabalho clínico e de investigação científica, O Corpo Não Esquece mostra o poder extraordinário que o corpo tem para curar a mente.”

     

    http://luadepapel.pt/pt/saude/o-corpo-nao-esquece/

  • “Triunfo e tragédia de Erasmo de Roterdão” de Stefan Zweig

    “«Aquele que sabe sugerir aos homens um novo ideal, a fé no progresso moral da humanidade, torna-se o guia dos seus contemporâneos: Erasmo foi esse homem.» Parábola dos tempos modernos, Triunfo e Tragédia de Erasmo de Roterdão, de Stefan Zweig, é a biografia deste grande humanista da Renascença. Grande viajante, defensor do acesso à cultura e ao conhecimento, reformador audaz, mas amigo da tolerância e do diálogo, denuncia todos os fanatismos, opondo-se à ruptura religiosa que iria ensanguentar a Europa. Foi o primeiro intelectual no sentido moderno, pai espiritual de Espinosa e de Voltaire. Publicado em 1934, este ensaio reflecte as preocupações do escritor austríaco numa Europa sujeita aos totalitarismos e, pouco depois, à guerra.”

     

    https://www.assirio.pt/produtos/ficha/triunfo-e-tragedia-de-erasmo-de-roterdao/24253678

  • “A Terra em equilíbrio” de Al Gore

    “Foi este livro que suscitou os primeiros ataques lançados contra Al Gore, na campanha de 1992, pelo então presidente George H. W. Bush, quando o referiu como o «Homem do Ozono».

    Este livro, e a viagem que descreve, é a procura de maneiras de compreender e responder ao perigoso dilema que a nossa civilização actualmente enfrenta.

    A Terra em Equilíbrio é uma obra ambientalista que alerta para os efeitos do aquecimento global e para a urgência de avançar com planos políticos estruturados como a única forma de salvar a Terra.

    Numa frase que se tornou famosa, Gore resumia este seu trabalho: «Temos de tornar a salvação do Ambiente no objectivo central da nossa civilização.»

    O livro foi uma pedrada no charco. Publicado em Junho de 1992, viria a ser a primeira obra escrita por um senador a constar da famosa lista de best-sellers do New York Times.”

     

    http://www.estrelapolar.leya.com/pt/ciencias-sociais-e-humanas/a-terra-em-equilibrio/

  • “Rezar de olhos abertos” de José Tolentino Mendonça

    “Há pessoas que rezam baixando os olhos, escondendo nas mãos o rosto, voltando-se para dentro. Há outras, porém, que abrem esforçadamente os olhos ao rezar, numa tentativa de observar a vida no seu espanto. Quer umas, quer outras - estão certas.

     

    Todas as formas de rezar são insuficientes, mas todas são eficazes. A arte de rezar é a arte de ser, apenas isso, porque o que conta verdadeiramente não depende das palavras.

    Esta obra foi pensada não como um livro sobre a oração, mas como um caderno de práticas da oração, reunindo um conjunto de textos que José Tolentino Mendonça foi escrevendo ao longo do tempo, muitos deles no contexto da atividade pastoral, para serem utilizadas por comunidades ou, simplesmente, para serem lidas e escutadas em silêncio. De olhos abertos, enfrentando a solidão e a tempestade.

     

    «Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez. Para quem quiser ver, a vida está cheia de nascimentos. Nascemos muitas vezes ao longo da infância, quando os olhos se abrem em espanto e alegria. Nascemos nas viagens sem mapa que a juventude arrisca. Nascemos na sementeira da vida adulta, entre invernos e primaveras maturando a misteriosa transformação que coloca na haste a flor e dentro da flor o perfume do fruto. Nascemos muitas vezes naquela idade avançada onde os trabalhos não cessam, mas se reconciliam com laços interiores e caminhos adiados. Nascemos quando nos descobrimos amados e capazes de amar. Nascemos no entusiasmo do riso e na noite de certas lágrimas. Nascemos na prece e no dom. Nascemos no perdão e no confronto. Nascemos em silêncio ou iluminados por uma palavra. Nascemos na tarefa e na partilha. Nascemos nos gestos ou para lá dos gestos. Nascemos dentro de nós e no coração de Deus.»”

     

    https://www.quetzaleditores.pt/produtos/ficha/rezar-de-olhos-abertos/21327223

  • “O dever do bom nome” de Filipe Pinhal

    “Para cúmulo, o BCP nunca entregou "malas pretas" o que, definitivamente, o converteu num "não alinhado".

    Filipe Pinhal tem um único propósito com este livro: a defesa do Bom Nome. O texto recorda, informa, explica e interpreta. Não há queixas. Apenas se constatam factos. Não se encontram desculpas. Apenas esclarecimentos. Não se recorre ao ajuste de contas. Denuncia-se e acusa-se. Preto no branco!

    Para Filipe Pinhal, um dos nomes mais incontornáveis na história da banca portuguesa dos últimos 20 anos: "uma defesa pública é o mínimo que devo aos meus filhos e netos, para que reste alguma memória quando, daqui a 30 anos, os protagonistas do 'Caso BCP' já cá não estiverem ou já não sobrar registo credível dos eventos".

    Desde que saiu do BCP o autor dedicou algumas horas a seleccionar escritos antigos, no intuito de chegar a um conjunto coerente que deveria ser publicado como título "Coisas da política, da justiça e da economia".

    Mas "mudou de agulha". No final, deparou-se com um vasto conjunto de factos, interpretações, argumentos e explicações com bastante interesse documental. Este livro fica para a história da banca portuguesa.”

     

    https://www.wook.pt/livro/o-dever-do-bom-nome-filipe-pinhal/2181257

  • “Bela” de Ana Cristina Silva

    “A 8 de dezembro de 1930, Florbela Espanca tirou a própria vida. Era o dia do seu aniversário. Fazia 36 anos.

    A vida de Florbela é um retrato de um espírito criativo, insatisfeito, complexo, com laivos de luz e sombra no Portugal na viragem do século XX.

    Nesta biografia ficcionada, Ana Cristina Silva faz mais do que contar-nos a história de Florbela, abre-nos a porta para os seus sentimentos, pensamentos e paixões.

     

    Florbela foi uma mulher não convencional, que ousou viver plenamente, ainda que muitas vezes tenha sido infeliz. Encontrou na poesia, desde tenra idade, a natural expressão das suas paixões, das suas mágoas, de um erotismo sublime e sempre, sempre da procura do Grande Amor. Recusou viver pela moral dos outros e teve a coragem de abrir o seu próprio caminho.

     

    Um romance psicológico envolvente, arrebatado e original que narra as paixões, os desencontros, os reveses e a força criativa de uma poeta cuja vida terminou cedo demais mas cuja obra perdura.”

     

    https://www.bertrand.pt/livro/bela-ana-cristina-silva/24232998

  • “Tropel” de Manuel Jorge Marmelo

    “Fica o leitor advertido de que esta ficção é completamente alheia à realidade. Tudo nela é falso, desconcertante, fictício e quase nada verídico. A viagem que aqui se empreende ao âmago da pungente metáfora que anima o Clube dos Caçadores de Székely é, todavia, inspirada em factos absolutamente reais.

    Atanas Viktor, o desamparado adolescente herdeiro de uma longa linhagem de caçadores impiedosos, é a personagem central desta incursão a um tempo de ódio e de uma história apartada do mundo, marginal e contada a partir de um lugar ermo, espantoso e medonho que só existe na literatura — mas cada vez mais próximo da soleira da nossa porta.”

     

    https://www.portoeditora.pt/produtos/ficha/tropel/23820173

  • “Reflexões sobre a escravidão dos negros e outros textos abolicionistas” de Condorcet

    “Em 1781, o iluminista Condorcet escrevia um violento libelo contra a escravatura, que se converteria numa obra clássica de denúncia. Ensaio intemporal, famoso pela posição veemente do autor e publicado sob pseudónimo, «Reflexões sobre a Escravidão dos Negros» é, em última instância, uma condenação das injustiças e um apelo ao fim da indiferença social, para que cessem os ultrajes aos princípios que norteiam a Humanidade. A presente edição inclui ainda os textos «Ao Corpo Eleitoral, contra a Escravidão dos Negros», destinado a apaziguar os receios económicos dos colonos da época, e «Sobre a Admissão de Deputados dos Plantadores de São Domingos à Assembleia Nacional», que põe em causa o direito dos esclavagistas à representação parlamentar.”

    https://antigona.pt/products/reflexoes-sobre-a-escravidao-dos-negros

  • “Um dia... o dia não se repete: contos breves, muitas histórias” de Ana Paula Timóteo

    “Este é um livro onde se volta. Onde voltaremos várias vezes. Onde iremos, ao longo dos tempos, regressar. E por isso é, em si mesmo, um objecto que tem a mais simples das formas. O das coisas contadas no seu tempo. - João Lima”

    https://www.wook.pt/livro/um-dia-o-dia-nao-se-repete-ana-paula-timoteo/15747843

  • “O Nuno escapa aos vírus” de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

    “Um livro de capa dura que explica de uma forma muito simples o que provocam os vírus, nomeadamente o que agora nos transtorna: o Covid 19.

    Ensina ainda às crianças a melhor forma de se comportarem em sociedade e as regras básicas de higiene para não serem infetados.

    Este livro é uma adaptação revista de um livro digital patrocinado pela Direção-Geral de saúde.”

    https://www.caminho.leya.com/pt/infantil-juvenil/7-9-anos/o-nuno-escapa-aos-virus/

  • “Os meninos do caminho de ferro” de E. Nesbit

    “Quando o pai é levado inesperadamente, Roberta, Peter, Phyllis e a sua mãe precisam de deixar uma vida confortável em Londres para irem viver numa pequena casa no campo.

    As crianças encontram conforto na estação ferroviária mais próxima e fazem amizade com Perks, o Porteiro, e o próprio Chefe da Estação.

    Todos os dias, correm pelo campo até à linha e acenam ao comboio com destino a Londres.

    Mal sabem eles que o gentil cavalheiro que lhes acena de volta detém a chave do desaparecimento do seu pai...”

    https://www.bertrand.pt/livro/os-meninos-do-caminho-de-ferro-e-nesbit/24540258

  • “Rubra: a árvore dos desejos" de Katherine Applegate

    “Autora distinguida com a John Newbery Medal, o mais importante prémio de Literatura infantojuvenil norte-americano.

    Rubra, um carvalho com muitos anos de vida, tantos quantos os seus anéis, vai contar-nos a sua história. Ela é também a «árvore dos desejos» da vizinhança - as pessoas escrevem os seus desejos em pedaços de papel ou retalhos de tecido e atam-nos aos ramos de Rubra. Vive com a sua amiga corvo, a Bongó, e outros animais que procuram refúgio nos esconderijos do seu tronco.

    Rubra pensava já ter visto de tudo na vida, até que a pequena Samar e os seus pais se mudam para a casa azul, mesmo à sua frente. Além do Simão, o vizinho da casa verde, são muito poucos os que recebem de braços abertos os recém-chegados.

    O tronco de Rubra fica, pela primeira vez, marcado pela tristeza. Inconformada, a árvore dos desejos decide agir. As suas memórias e experiência serão agora mais valiosas do que nunca.

    Um livro que diverte, que emociona e que ficará guardado na memória de quem o ler.”

    https://fabula.pt/livros/rubra-a-arvore-dos-desejos

  • “Os esquilos que não sabiam partilhar” de Rachel Bright

    “Os gananciosos esquilos Daniel e João estão ambos de olho num prémio muito especial: os últimos pinhões da estação. Oh, não! Começou a corrida!

    Uma história hilariante sobre a amizade e a partilha, dos criadores do sucesso O Leão que temos cá dentro.”

    https://www.presenca.pt/products/os-esquilos-que-nao-sabiam-partilhar

  • “O desafio do mapa: um livro sobre dislexia” de Tracy Packiam Alloway

    “Autora especialista em Psicologia Cognitiva e Educacional

    No acampamento de escuteiros, durante o jogo da caça à bandeira, o Samuel fica responsável pela interpretação do mapa. Mas ler não é uma tarefa fácil para ele. Será que o Samuel, com a ajuda dos seus superpoderes, vai conseguir ajudar os colegas a encontrar o caminho certo?

    A coleção NEE Superpoderes celebra os traços positivos associados às Necessidades Educativas Especiais (NEE). Esta história vai ajudar as crianças a entenderem e a lidarem de forma construtiva com a dislexia.

    Atenção, pais! Estratégias úteis para os desafios do dia a dia.”

    https://www.lilliput.pt/livros/nee-superpoderes-3-o-desafio-do-mapa-um-livro-sobre-dislexia

  • “Um dia em grande: um livro sobre ansiedade” de Tracy Packiam Alloway

    “Autora especialista em Psicologia Cognitiva e Educacional

    A Rita sente-se muito ansiosa com a apresentação que tem de fazer diante da sua turma. Entretanto, quando descobre que o seu colega João está triste, a Rita esquece-se da apresentação e faz tudo para animar o amigo. Será que a Rita, com a ajuda dos seus superpoderes, vai consegui fazer uma apresentação incrível?

    A coleção NEE Superpoderes celebra os traços positivos associados às Necessidades Educativas Especiais (NEE). Esta história vai ajudar as crianças a entenderem e a lidarem de forma construtiva com a ansiedade.

    Atenção, pais! Estratégias úteis para os desafios do dia a dia.”

    https://www.lilliput.pt/livros/nee-superpoderes-4-um-dia-em-grande-um-livro-sobre-ansiedade

  • “Hermenêutica” de Richard E. Palmer

    “Este livro é um registo da busca feita pelo seu autor no que respeita à compreensão de um termo imediatamente desconhecido para a maior parte das pessoas cultas e ao mesmo tempo potencialmente significativo para uma série de disciplinas relacionadas com a interpretação, especialmente com a interpretação de textos.

    Uma visão histórica, sintética e densa, do problema e da constituição da Hermenêutica e das implicações filosóficas fundamentais da interpretação.

    O autor analisa e expõe com argúcia as linhas básicas do pensamento de alguns dos principais hermeutas: Scheleiermacher, Dilthey, Heidegger e Gadamer.”

    https://www.wook.pt/livro/hermeneutica-richard-e-palmer/22330939

  • “Talvez” de Morris Gleitzman

    “Autor Multipremiado.

    «Talvez fique tudo bem. Talvez eu devesse parar de pensar nas coisas más e concentrar-me nas coisas boas.»

    Estamos em 1946 e Felix, um rapaz judeu de 14 anos, está de partida da Polónia para a Austrália, à procura de um sítio seguro onde possa recomeçar a sua vida.

    A guerra terminou, mas a Polónia está em ruínas e não é um lugar onde ele e o seu amigo Gabriek se sintam a salvo. Com eles vive agora Anya, que está grávida e completamente dependente da proteção deles.

    A viagem proporcionada pelo Governo da Austrália é bastante atribulada. A amizade e coragem dos três amigos é posta constantemente à prova e os conhecimentos de medicina que Felix foi adquirindo nos últimos anos vão ser cruciais.

    Mas chegar a este país não vai ser o fim das dificuldades. Há um homem em busca de vingança que está disposto a persegui-los até ao fim dos seus dias. E Felix vai ter de enfrentar um inimigo mais perigoso do que os nazis.

    Felix é um herói que nos comove pela sua esperança e bondade. A sua história é tão emocionante que não deixará ninguém indiferente.”

    https://fabula.pt/livros/talvez-morris-gleitzman

  • “Gelo” de Anna Kavan

    “«Poderíamos quase ficar convencidos de que Anna Kavan conseguia prever o futuro… Cinquenta anos depois da sua publicação, este romance, quase um sonho febril, começa a parecer demasiado real.» — The New Yorker

    Num mundo dominado pela destruição, a guerra e o pânico, um protagonista sem nome vagueia por uma paisagem surreal, mas familiar, em demanda de uma estranha jovem mulher de cabelos prateados. Nesta busca insistente e obsessiva, atravessa mares e planícies geladas, ruínas de cidades saqueadas, lutando contra o tempo numa missão que tem tanto de real quanto de imaginário: salvar esta «rapariga de vidro» antes que o mundo conhecido se encerre no interior de uma muralha de gelo.

    Publicado originalmente em 1967, um ano antes da morte da autora, e de imediato celebrado como uma das obras literárias mais inovadoras e extraordinárias do seu tempo, Gelo foi precursor de um novo género de ficção que seria mais tarde identificado nas obras de autores como J. G. Ballard, Philip K. Dick ou Haruki Murakami.

    «O leitor ansiará por mergulhar no seu universo metálico e poeticamente surreal.» — Patti Smith

    «Anna Kavan escreveu alguma da ficção mais marcante e original do século XX.» — The Paris Review”

    https://cavalodeferro.pt/livros/gelo

  • “Antologia poética” de Miguel Torga

    “Querido Leitor:   Gostaria de conversar contigo alguns momentos no pórtico desta antologia. Para já, quero que saibas que hesitei muito antes de me decidir a organizá-la. Perguntava a mim mesmo se seria legítimo desirmanar cada um dos poemas que nela agora figuram dos outros com que emparelham em livros entendidos como unidades redondas. Temia, além disso, a precariedade do critério que os escolhesse. Nem sempre um autor é bom juiz em causa própria. [...] Mas como a minha vida é um extenso rol de perplexidades e nunca saí de nenhuma em perfeita paz de espírito, resolvi averbar à conta mais uma parcela e levar a empresa por diante. É que, contra todas as razões, seduzia-me a perspectiva de reviver o longo caminho órfico que iniciei às cegas, calcorreei a tactear e estou em vias de concluir de olhos abertos, no espanto de quem vê finalmente, a plena luz, a fundura dos abismos a que desceu.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/poesia/antologia-poetica-miguel-torga/

  • “Cisnes selvagens: três filhas da China” de Jung Chang

    “Jung Chang decidiu escrever a história da sua família como parte da história da própria China. Começou com a avó, Yu Fang, que aos 15 anos de idade, em 1924, foi obrigada por seu pai a casar-se com um general que já tinha três outras mulheres. Esse era um tempo em que as mulheres ainda eram obrigadas a esmagar e manter amarradas as articulações dos pés, para que seu andar fosse tão gracioso como o movimento dos cisnes nas águas de um lago tranquilo. O resultado é Cisnes Selvagens, um romance fascinante e poderoso, que atravessa três gerações de mulheres de uma família que viveu o entusiasmo, a repressão, a violência e a degradação do regime chinês e do maoísmo. Tendo vendido mais de 80 000 exemplares em Portugal, a Quetzal orgulha-se de relançar esta obra fundamental para compreender a Revolução Cultural chinesa e o regime violento e opressivo que não sobreviveu a Mao Tse Tung, de que Jung Chang também escreveu uma biografia inovadora e polémica.”

    https://www.quetzaleditores.pt/produtos/ficha/cisnes-selvagens/1876034

  • “Juntos estamos melhor” de Laurinda Alves

    “Neste livro encontramos histórias reais, tocantes e surpreendentes, que mostram a vida tal como ela acontece. As vozes que Laurinda Alves nos traz revelam uma sabedoria incomum. São pessoas que vivem o aqui e o agora. Pessoas que não esquecem as raízes profundas que as ligam ao passado, aos dias luminosos e às noites de amargura, às horas felizes e aos tempos de aflição, aos instantes de glória e aos momentos de desespero. Eis uma viagem pelos lugares seguros da infância, pelos gestos que nos interpelam e pelas palavras que nos emocionam.

    «Nunca, como neste tempo, tínhamos parado para nos vermos apenas ao longe, sem abraços nem proximidade física. Sabemos que depois de cada tempo vêm sempre outros tempos, mas escrevo estas linhas com o mundo ainda fechado, como que parado, numa quietude inaugural nunca antes vivida. E é nesta quietude que convoca à reflexão, que nos faz olhar para dentro vendo-nos de fora, que apetece voltar às pessoas que marcaram a nossa vida, aos lugares que foram nossos, aos acontecimentos gravados na memória, aos momentos tatuados no coração. Este livro está cheio dessas pessoas e destes lugares. Todos reais, todos verdadeiros, testemunhos autênticos de um passado que consola e dá mais sentido ao presente. Os meus avós, os meus pais e irmãos, o meu filho, os meus familiares e amigos, vizinhos e conhecidos, mas também alguns desconhecidos. Pessoas que nunca cheguei a conhecer em vida, mas reforçaram a minha consciência sobre o amor, a entrega, a gratuidade, a alegria e a liberdade interior. Juntos estamos sempre muito melhor.»”

    https://www.clubedoautor.pt/livro/juntos-estamos-melhor

  • “Dias inteiros nas árvores; Savannah bay” de Marguerite Duras

    “A música secreta de uma das personalidades maiores das artes do século XX: cinema, romance, ensaio e também teatro.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/dias-inteiros-nas-arvores-savannah-bay/

  • “Acamarrados; A farsa da rua W; As pequenas coisas” de Enda Walsh

    “Acamarrados é uma história terrível de que não conseguimos descolar, e consegue, a partir de descrições de um mundo aparentemente abandonado por qualquer sombra de sorte ou de felicidade, levar-nos para o terreno do puro maravilhoso. “O que é que eu sou se não for palavras, sou espaço vazio”, diz a rapariga. É a partir daqui que se transforma radicalmente o mundo durante uma hora.

    João Carneiro, Expresso”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/acamarrados-a-farsa-da-rua-w-as-pequenas-coisas/

  • “Mariana Pineda; A sapateira prodigiosa” de Federico García Lorca

    “Uma tragédia romântica, uma comédia de costumes: Lorca andaluz.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/mariana-pineda-a-sapateira-prodigiosa/

  • “A missão; Mauser” de Heiner Müller

    “Mais um volume com duas peças de Heiner Müller: destruição, ruínas, desagregação do texto e do humano.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-missao-mauser/

  • “Lilás” de Jon Fosse

    “Esta é uma peça sobre os adolescentes, os seus locais de encontro, os amores desfeitos, as suspeitas, a vontade de partir, de ir embora, de cortar as amarras, a necessidade do grupo, a vontade de ficar, a solidão daqueles que, entre os 14 e os 17 anos, não sabem ainda como viver, presos aos dias que se seguem. A que só a música, ás vezes, parece dar voz. A adolescência não é um momento de sorrisos e açúcar, o tempo nunca mais passa. E Jon Fosse trata de igual para igual os seus espectadores, espantados por existirem, por não saberem o que fazer da vida.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/lilas/

  • “Perigo: Memória!” de Arthur Miller

    “O teatro contemporâneo é todo filho de Arthur Miller, não é? Filho rebelde, parricida, deserdado, filho herdeiro...”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/perigo-memoria/

  • “O crítico; Reiquiavique; O cartógrafo” de Juan Mayorga

    “Escrevo em busca dos outros; oxalá este seja o sítio de muitos encontros.

    Juan Mayorga”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/o-critico-reiquiavique-o-cartografo/

  • “A rua do inferno; Marcado pelo tipex; Santíssima apunhalada; Puro-sangue” de Antonio Onetti

    “A sua galeria de personagens, extraídas da observação, mais imediata, é composta por malandros, vadios, prostitutas, delinquentes, desempregados ou drogados que vemos em qualquer rua. O que acarreta a procura de uma linguagem popular sem precedentes, a não ser que olhemos para trás, para o folclorismo linguístico dos irmãos Quintero. Humor, irreverência, troça das instituições, e íntima compreensão dos seus deserdados caracterizam o teatro de Onetti.

    Enrique Centeno, La Escena Española Actual”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-rua-do-inferno-marcado-pelo-tipex-santissima-apunhalada-puro-sangue/

  • “Porque é que as pessoas são de cores diferentes?” de Emma Waddington e Christopher McCurry

    “Porque é que as pessoas são de cores diferentes? Porque é que ela está numa cadeira de rodas? Porque é que não tenho um pai?

    Este livro aborda 12 questões sobre identidade, tolerância e diversidade, com pequenas histórias desenvolvidas por dois pedopsiquiatras que ajudam a criar momentos de conversa entre adultos e crianças para discutir as mais diversas dúvidas colocadas pelos mais novos.

    As crianças são adoráveis, mas às vezes fazem as perguntas mais inconvenientes, nas piores alturas! Sem saberem o que responder, pais e educadores acabam por dizer qualquer coisa, o que as deixa ainda mais curiosas ou confusas. Inclui ilustrações apelativas, um guia passo a passo de como introduzir tópicos de conversa e conselhos para pais e educadores.”

    https://booksmile.pt/livros/enciclopedia-saber-quem-sou-1-porque-e-que-as-pessoas-sao-de-cores-diferentes

  • “A Mosquito” de Inês Oliveira

    “Esta é a história de um menino que viaja nas asas de uma mosquito, um menino que vai ao Pólo Norte falar com o grande urso branco, um menino que vai à China entregar o pequeno panda à família..... e muito, muito mais. Bruno viaja pelo mundo da fantasia a bordo da imaginação. Um livro com texto e ilustrações de uma jovem promessa: Inês Oliveira.”

    http://www.novagaia.pt/pt/literatura-infantil/a-mosquito/

  • “Guarda como um segredo” de Sandol Stoddard

    “Quando alguém nasce inauguram-se sempre duas novas realidades: a de um bebé e a daqueles que lhe dão as boas-vindas e se vêem confrontados com o que dar, mostrar ou dizer a quem acaba de chegar a este mundo não sabendo nada ou quase nada. Como receber da melhor maneira este novo membro da família e apresentá-lo aos mistérios da vida? Por onde começamos com esta bela criatura adormecida? Por um brinquedo para ele ver, por algo perfumado para ele cheirar? Podemos dar-lhe uma maçã, uma folha ou mostrar um pedaço de neve. Mas será que ele vai entender? Tudo o que ele sabe é ainda muito pouco, embora já saiba que quer alguém a segurá-lo bem apertado. Talvez o melhor será partir em busca de tudo o que neste mundo queremos partilhar com ele e guardá-lo em canções, guardar tudo como um segredo que só a ele pode ser confiado, para que saiba que é algo de especial, algo de bom neste seu primeiro dia na Terra.”

    https://www.bruaa.pt/loja/guarda-como-um-segredo/

  • “Um bárbaro no jardim: ensaios” de Zbigniew Herbert

    “Fazendo jus à máxima de que «o passado não reside na geografia do presente, mas sim na nossa imaginação», o poeta Zbigniew Herbert explora história, arquitetura, pintura e a biografia de homens ilustres, num dos mais famosos livros de viagens da literatura europeia.

    Para Herbert, observar e descrever é viajar. Ao longo dos dez ensaios que compõem o livro, o leitor acompanha-o pelo interior das grutas  de Lascaux, presenciando o êxtase da cor, pelos templos dóricos de Pesto, onde o equilíbrio entre luz e matéria enaltece o sentimento religioso, pelas catedrais góticas e renascentistas, pela tragédia dos Cátaros e dos Templários ou pela paisagem da França Medieval.

    Ao mesmo tempo que convive com o passado, Herbert coexiste também com o presente, descrevendo pessoas, situações e lugares, provando a culinária e partilhando as suas histórias. O resultado é um livro de viagens que é também uma visão pessoal da própria história  e civilização europeias.

    «Zbigniew Herbert é um poeta para este lugar e, sobretudo, para este tempo.» - Joseph Brodsky

    «Um dos melhores e mais originais escritores do século XX.» - New Yorker”

    https://cavalodeferro.pt/livros/um-barbaro-no-jardim

  • “História do bailado em Portugal” de António Laginha

    “Sem contornos marcadamente académicos, esta edição é proposta como uma resenha histórica do bailado que, em certos períodos, se produziu em Portugal. Tem como objetivo aproximar a arte do bailado ao grande público, prestando também homenagem aos vários artistas e às instituições que possibilitaram que esta arte se desenvolvesse no país, abordando, essencialmente, a história do bailado no século XX. Da autoria de António Laginha, que foi bailarino das companhias mais importantes do nosso País, nomeadamente do saudoso Ballet Gulbenkian, é profusamente ilustrada com imagens da época, percorrendo também todo um dilatado período em que não havia registos fotográficos nem fílmicos dos espetáculos de bailado.”

    https://www.ctt.pt/particulares/filatelia/plano-editorial/historia-do-bailado-em-portugal

  • “Castelos: maravilhas de Portugal” de Libório Manuel Silva e Miguel Gomes Martins

    “Os castelos têm ainda hoje uma presença muito marcante na paisagem portuguesa e povoam a nossa imaginação com histórias de mouras encantadas e de valentes guerreiros. Quer mantenham a sua silhueta altaneira, quer estejam em ruínas, eles continuam a ter muito para nos revelar sobre os homens que os ergueram, que os protegeram e, por fim, que os abandonaram.

    Este livro, com as belas imagens de Libório Manuel Silva e o texto informado e rigoroso de Miguel Gomes Martins (um especialista consagrado da arte militar medieval), constitui uma viagem pela história maravilhosa dos castelos medievais portugueses. Uma jornada de Bragança a Silves, passando por todas as outras regiões do país.

    Prof. Doutor João Gouveia Monteiro

    http://www.centroatlantico.pt/produto/castelos-maravilhas-de-portugal-castles-wonders-of-portugal/

  • “Uma história redonda ...e outra história” de António Torrado

    “Uma história redonda é um conto sobre livros que termina como começa: a primeira cena é igual à última, transformando a leitura num rodopio sem parar.

    No primeiro dia de aulas o João decide ir ao quadro fazer um desenho. Fica tão concentrado e interessado no que está a fazer que "entra" no desenho que faz, para descobrir que vai ter ao mesmo sítio onde está: a escola.”

    https://www.bertrand.pt/livro/uma-historia-redonda-e-outra-historia-antonio-torrado/10355259

  • “A grande aventura do ratinho” de Margarida Josué

    “Sem família, amigos ou sequer vizinhos, o ratinho apercebe-se de que está na hora de mudar de casa. Embalado pela rima e pela métrica do texto de Margarida Josué, o nosso herói lança-se à aventura na expetativa de descobrir um abrigo que o proteja dos perigos da floresta e do vazio da solidão. Pelo caminho, vai podendo contar com a ajuda e os conselhos de uma mão-cheia de animais, desde o pardal até ao ouriço-cacheiro. Infelizmente, o ratinho depara-se por todo o lado com as impressões digitais do ser humano, cuja poluição subverte a tranquilidade da natureza.

    Será que o nosso herói vai conseguir encontrar um lugar perfeito para viver e, ao mesmo tempo, alguém que queira morar no seu coração?”

    https://www.wook.pt/livro/a-grande-aventura-do-ratinho-margarida-josue/17340469

  • “Um dia na quinta” de Aline de Pétigny

    “Há quanto tempo o Alexandre e os seus companheiros de aventuras ansiavam por este dia!

    O Avô Veado organizou um passeio até à quinta de uma ovelha sua amiga, quinta essa que ele diz ser mágica.

    Curiosos e interessados, os visitantes vivem um dia para lá de mágico!”

    https://www.almedina.net/alexandre-o-raposinho-4-um-dia-na-quinta-1591110541.html

  • “O regresso de Telma, o unicórnio” de Aaron Blabey

    “Fãs da Telma, alegrem-se!

    O unicórnio preferido de todos está de volta!

    Nunca te esqueças do que gostas de fazer e de quem tu és!

    A Telma tinha agora uma vida tranquila, longe do público, o que lhe sabia muito bem! Até que se apercebeu de que os seus fãs sentiam muito a sua falta. E ela a deles! E quando regressou, com toda a pompa e alegria, cheia de brilho:

    Os fãs da Telma ficaram tão felizes!

    O mundo inteiro festejou.

    Mas agora a Telma tinha o amigo

    e foi graças a isso que resultou.

    Com o apoio do seu querido amigo Óscar, desta vez a Telma está realmente pronta para enfrentar o mundo!

    Nunca te esqueças do que gostas de fazer e de quem tu és!”

    https://www.bertrand.pt/livro/o-regresso-de-telma-o-unicornio-aaron-blabey/23243811

  • “No mundo dos sonhos” de Émilie Chazerand

    “Clara é uma coleção de histórias simples e repletas de ilustrações coloridas.

    A protagonista é uma menina de cerca de 5/6 anos que vive as situações normais de qualquer criança dos nossos dias. Sonha, brinca, apanha piolhos, tem medos, alegrias e alergias, chateia-se com os pais, faz as pazes?

    Mas a Clara tem um dom muito especial: ela fala a língua de todos os animais! Será mesmo verdade?

    No mundo dos sonhos, tudo é possível: rios de caramelo, montanhas de arroz-doce... e até unicórnios que falam a linguagem das crianças.

    Depois de um desafio que envolve um rubi e de uma boleia mágica de unicórnio, a Clara acorda e não tem dúvidas sobre o que quer para o pequeno-almoço: um chupa-chupa de pizza.”

    https://booksmile.pt/livros/clara-1-no-mundo-dos-sonhos

  • “Mulheres da minha alma” de Isabel Allende

    “«Cada ano vivido e cada ruga contam a minha história.»

    Isabel Allende percorre os labirintos da memória e oferece-nos um emocionante testemunho sobre a sua relação com o feminismo e a sua condição de mulher.

    Em Mulheres da minha alma, a autora chilena convida-nos a acompanhá-la nesta emocionante viagem, em que revisita a sua ligação ao feminismo, desde a infância até aos dias de hoje. Recorda algumas mulheres incontornáveis na sua vida: Panchita, Paula e a agente Carmen Balcells, cuja ausência chora ainda hoje; escritoras de nomeada como Margaret Atwood; jovens artistas que trazem na pele a rebeldia das novas gerações; mulheres anónimas que sofreram na pele a violência de género e, com dignidade e coragem, se levantam e avançam. Todas elas a inspiram e a acompanham ao longo da vida: as mulheres da sua alma.

    Reflete, ainda, sobre as mais recentes lutas sociais, nomeadamente as revoltas no seu país de origem e, claro, sobre este novo contexto que o mundo atravessa com a pandemia. Tudo isto sem deixar de manifestar a sua inconfundível paixão pela vida e a sua crença em que, independentemente da idade, há sempre tempo para o amor.”

    https://www.wook.pt/livro/mulheres-da-minha-alma-isabel-allende/24253657

  • “O tempo da revolta” de Donatella Di Cesare

    “Marginalizada pela reflexão, apresentada como um acontecimento caótico e sombrio pela narrativa mediática, a revolta é um tema incandescente no cenário global.

    Neste livro, Donatella Di Cesare aborda pela primeira vez o assunto do ponto de vista político e filosófico, oferecendo um quadro sugestivo e oportuno dos acontecimentos atuais.

    Tal como a migração, a revolta permite-nos vislumbrar o que está a acontecer do lado de fora, para lá da ordem estatocêntrica, nos limites da arquitetura política e em torno das fronteiras vigiadas do espaço público.”

    https://www.bertrand.pt/livro/o-tempo-da-revolta-donatella-di-cesare/24540250

  • “Superinteligência: caminhos, perigos, estratégias” de Nick Bostrom

    “Se o cérebro artificial ultrapassar algum dia o cérebro humano em inteligência geral, o futuro da nossa espécie vai depender das acções da poderosa inteligência artificial (IA).Neste livro, ambicioso e original, Nick Bostrom examina o que considera ser o problema essencial do nosso tempo: seremos capazes de manter sob controlo as investigações e os avanços da IA antes que seja demasiado tarde?

    “Leitura imprescindível. […] Temos de ser supercuidadosos com a IA.” [Elon Musk]

    “Recomendo imenso este livro.” [Bill Gates]

    “Aqueles que pensam que podem subestimar a ‘tomada de poder pela IA’ como ficção científica vão ter de pensar de novo no assunto depois de ler este livro original e bem fundamentado.” [Martin Rees, ex-presidente da Royal Society]

    “Esta soberba análise por um dos nossos mais clarividentes pensadores enfrenta um dos maiores desafios da humanidade: se, no futuro, a IA sobre-humana se tornar o maior acontecimento da nossa história, como ter a certeza de que não será o último?” [Max Tegmark, professor de Física, MIT]

    “De grande valor. As implicações do surgimento de uma segunda espécie inteligente sobre a Terra é de alcance suficiente para merecer a atenção de um grande pensador.” [The Economist]

    “Todas as pessoas inteligentes deveriam ler este livro.” [Nils Nilsson, Universidade de Stanford]

    “A civilização humana está em causa.” [Clive Cookson, Financial Times]”

    https://relogiodagua.pt/produto/superinteligencia-caminhos-perigos-estrategias/

  • “A China já ganhou?” de Kishore Mahbubani

    “O embate geopolítico mais estruturante do século XXI está a dar-se entre a República Popular da China e os Estados Unidos da América. Será ainda possível influenciar o seu resultado?

    A América e a China são superpotências mundiais com pouquíssimos rivais sérios. Olham-se com desconfiança, comunicam mal e parece haver pouca empatia natural entre elas.

    A América valoriza a liberdade; a China valoriza a ordem.

    A América valoriza o poder de decisão; a China valoriza a paciência.

    A América está a tornar-se cada vez mais desigual; a China, uma meritocracia.

    A América abandonou o multilateralismo; a China acolhe-o.

    Será a sua supremacia inevitável? Estarão os outros 192 países fadados a vergar-se ao domínio económico e, quiçá, militar do maior país asiático? E será que os Estados Unidos e a União Europeia já perderam a luta pela sua relevância no palco internacional e comercial?”

    https://www.bertrand.pt/livro/a-china-ja-ganhou-kishore-mahbubani/24338137

  • “A cidade das memórias” de Gomes Fernandes

    “Descreve-se neste livro - que tem por personagem central um dos mais conhecidos alfarrabistas da Cidade - um quadro vivo do que foi a vida portuense na segunda metade do século XX, desde a movimentação política e social (suscitada pelas campanhas de Norton de Matos e Humberto Delgado), passando pelo quotidiano da população até às manifestações culturais e literárias que fizeram época e foram, porventura, um momento alto da afirmação invicta. A Cidade das Memórias não é apenas um romance. Ao leitor, esta obra surgirá, sobretudo, como um registo memorialista, quase documental, que nos faz reviver uma época histórica de tensões e paixões, também de brios e de brilhos, entrelaçando vivências e caracteres que denotam a mais funda idiossincrasia das gentes do Porto. Como escreve o autor, «texto ficcionado de marcado compromisso político, nele não se negam as memórias de uma geração de ideias, com preocupações de intervenção cívica, que parecem estar a perder-se hoje, agora que o futuro ameaça com tantas dificuldades no reencontrar dos caminhos da Justiça e da Liberdade igualitárias dos cidadãos de visão universal, que todos estamos apreensivos sobre a qualidade daquilo que ele nos reserva.»”

    https://www.wook.pt/livro/a-cidade-das-memorias-gomes-fernandes/10635167

  • “Tudo começou com um segredo” de Jill Mansell

    “Um acaso pode mudar vidas...

    Depois de mais uma relação desastrosa, Lainey decide fazer uma pausa no amor e promete a si mesma não se envolver com ninguém num futuro próximo. Por sorte, o azar no amor é compensado pelo que parece ser o seu emprego de sonho: trabalhar numa mansão junto à praia, na Cornualha, com um antigo ator de Hollywood e a sua família caótica mas encantadora. Para isso, Lainey só tem de manter o segredo que a levou até lá.

    O que ela não esperava era que Seth, o neto do seu novo patrão, fosse tão atraente. A química entre os dois é inegável e, apesar de tentarem manter-se afastados, a ligação torna-se mais forte a cada dia. Lainey tem noção de que é demasiado tarde para ser sincera com Seth. O que ela não sabe é que também ele esconde um segredo capaz de abalar toda a família.

    Quando as verdades escondidas vêm à tona, o mais inesperado acontece e muda a vida de todos para sempre.

    Quando já parece tarde demais, o amor revela verdades inesperadas.”

    https://www.bertrand.pt/livro/tudo-comecou-com-um-segredo-jill-mansell/24128984

  • “A Menina do Mar” de Sophia de Mello Breyner Andresen

    “No ano em que se assinala o centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen, lançamos uma edição comemorativa muito especial e limitada de “A Menina do Mar”, com livro, CD e DVD.

    Este foi o primeiro livro infantil de Sophia, publicado em 1958.

    Em 1961, a Valentim de Carvalho lançou aquele que seria um formato inovador, a leitura dramatizada do original de "A Menina do Mar", encenada por Artur Ramos, com interpretações de Eunice Muñoz, Francisca Maria, António David e Luís Horta, e música de Fernando Lopes-Graça.

    A 30 de Agosto de 2019, com o Alto Patrocínio da Presidência da República, a Valentim de Carvalho vai disponibilizar uma edição inédita e única de “A Menina do Mar”, onde ao texto original (sob autorização da Porto Editora) acrescenta nova capa e ilustrações de Beatriz Bagulho, a reedição em CD da leitura de 1961, e o DVD do espectáculo gravado ao vivo no São Luiz Teatro Municipal em Fevereiro deste ano, criado por Carla Galvão, Filipe Raposo e Beatriz Bagulho, com música criada por Filipe Raposo a partir de música de Bernardo Sassetti.

    Como nos diz Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República de Portugal, no prefácio da obra:

    «Diferentes leituras, diferentes gerações e diferentes métodos de revisitar um texto fundador, que está no mar com saudades da terra, na terra com saudades do mar. E que, por artes de fantasia, ou da poesia, faz do rapaz solitário e da menina órfã uma unidade anunciada, forte como um polvo, sábia como um caranguejo e feliz como um peixe.»”

    https://www.fnac.pt/Eunice-Munoz-A-Menina-do-Mar-CD-DVD-Livro-CD-Album/a7083527

  • “Não pode ser verdade!: animais” de Andrea Mills

    “Centenas de fascinantes comparações visuais e factos espantosos sobre o reino animal.

    Quem poderia imaginar que uma ave pode voar mais alto do que um avião?

    E que o caranguejo-dos-coqueiros abraça uma bola de basquetebol sem problemas?

    E que os coalas e os bonobos têm impressões digitais como os seres humanos?”

    https://www.bertrand.pt/livro/nao-pode-ser-verdade-animais-dorling-kindersley/24356915

  • “20.20.20” de Tim

    “Três-vintes era uma marca de tabaco sem filtro, dos mais baratos, embalagem de papel pardo, que trazia escrito no maço a definição do produto: 20 cigarros, 20 gramas, 20 centavos. 20-20-20. Simples e directo.

    Resolvi pegar neste conceito de simplicidade e aplicá-lo à minha música: um tema musical, um assunto de conversa ou um sentimento, um arranjo e pronto.

    Para me ajudar musicalmente conto com o Moz Carrapa na guitarra, com o Nuno Espírito Santo no baixo e com os meus dois filhos, Vicente e Sebastião Santos, nas teclas e na bateria, respectivamente.

    Desafiei esta formação a trabalhar em vários locais, já que os temas, embora simples, eram diversos e podiam ter desenvolvimentos diferentes, uns mais bucólicos, outros mais activos, outros mais íntimos.

    Possivelmente os sítios poderiam contribuir para essa diferenciação. Assim, trabalhámos no meu estúdio caseiro (campo), n'a Casinha e no 309Studio em Toronto (cidade) e na Zambujeira do Mar (praia).

    E, já agora, este ano faço 60 anos!

    Tim 20-20-20”

    https://www.fnac.pt/Tim-20-20-20-CD-CD-Album/a7868729

  • “O campeão do mundo ocidental; Cavalgada para o mar; A sombra da ravina” de J. M. Synge

    “As três peças que inventaram o teatro irlandês. Ou, para dizer a verdade, todo o teatro do século XX. Uma nova tradução de Synge, o grande poeta do palco.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/o-campeao-do-mundo-ocidental-cavalgada-para-o-mar-a-sombra-da-ravina/

  • “Mulheres sonharam cavalos; De carro” de Daniel Veronese

    “Mas nos últimos anos, e sobretudo depois da grande crise argentina, eis que descubro, entusiasmado também uma nova dramaturgia vinda desse sul distante. (...) Agora o que me deslumbra é a riqueza, a diversidade, a espontaneidade, a irreverência, a indisciplina de uma literatura dramática que todos os anos nos traz dezenas de novos textos. - Jorge Silva Melo”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/mulheres-sonharam-cavalos-de-carro/

  • “Bodas de sangue; A casa de Bernarda Alba” de Federico García Lorca

    “Com este volume começamos a publicação de textos de um dos maiores autores do século XX, aqui em traduções de Luiza Neto Jorge e A. M. Pires Cabral, poetas.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/bodas-de-sangue-a-casa-de-bernarda-alba/

  • “Ana” de José Maria Vieira Mendes

    “Vieira Mendes partiu da peça anterior, Onde Vamos Morar, onde inaugurou, como diz, «uma forma diferente de falar em palco» da ideia de T1 (peça escrita em 2001, onde jogava com o espaço) e da não linearidade temporal. Escrita no isolamento de uma residência criativa, em França, nasceu esta Ana que espelha «o final de um ciclo de escrita e que pensa sobre a impossibilidade da ficção ou que esplora a ficção até ao ponto em que ela se desfaz. Fazendo uso de muito poucos meios ficcionais (uma mala, quatro personagens, um vestido e um chá) e usando a palavra, a ideia foi brincar com as expectativas do público face à própria história e levar isso ao extremo. José Maria Vieira Mendes conta que foi só depois de começar a escrever que percebeu que o texto era sobre o "o tempo" e sobre "o fim da ficção".

    Gisela Pissara, Diário de Notícias”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/ana/

  • “A orelha de Deus” de Jenny Schwartz

    “Esta peça da jovem dramaturga nova-iorquina Jenny Schwartz é um (j)acto único composto por palavras que se invocam umas às outras, que se associam livremente contra a vontade de quem as diz, ou apesar das intenções daqueles que as proferem, sem filtros de espécie nenhuma. Uma espécie de pesadelo musical onde a dor, o sentimento de culpa e o processo de negação da realidade que subjaz à perda de um filho se transmutam num humor desbragado. Há qualquer coisa de infantil e perverso na forma como as personagens, num processo mimético, assumem traços de outras e convivem com figuras imaginárias como a Fada dos Dentes ou um boneco 'action-man'. Os contornos dos lugares e as categorias temporais esbatem-se. Um permanente deslocamento das palavras relativamente às suas significações e emoções subjacentes perturba-nos, obrigando-nos a prosseguir em busca de um sentido ou de um final para a história que nos vai sendo desvendada.

    Cristina Carvalhal”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-orelha-de-deus/

  • “Tu vê lá, Giacomino!; Como tu me queiras; Não se sabe como” de Luigi Pirandello

    “Mais um volume com traduções de três textos muito singulares do mestre italiano: da sua obra-prima da maturidade COMO TU ME QUEIRAS à estranha NÃO SE SABE COMO e à juvenil e premonitória (está lá tudo o que desenvolve depois) TU VÊ LÁ, GIACOMINO.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/tu-ve-la-giacomino-como-tu-me-queiras-nao-se-sabe-como/

  • “Desejo e outras peças” de Josep M. Benet i Jornet

    “Nestas quatro peças (Desejo, E.R., O Quarto do Miúdo, Precisamente Hoje)

    Benet i Jornet fala-nos de um mundo moderno, de gente que vive entre residências secundárias, auto-estradas, quartos de hotel. E no aparente realismo com que magicamente estabelece as relações entre personagens, abre-se uma fenda, uma brecha, uma porta. E às vezes é o Mal quem está para lá da porta. Ou sabemos lá o quê.

    “Os sentimentos são um luxo de pessoas que podem desperdiçar o seu tempo.” - Josep M. Benet i Jornet”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/desejo-e-outras-pecas/

  • “Banda sonora; The swimming pool party” de Ricardo Neves-Neves

    “Continua Neves-Neves a surpreender-nos com o seu humor desconexo, as suas brincadeiras, um universo poético entre o infantil e o onírico: teatro, enfim.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/swimming-pool-party-banda-sonora/

  • “Os negros” de Jean Genet

    “Uma reflexão barroca e poética sobre a condição de negro no Ocidente. A violência da peça, juntamente com as posições cívicas de Genet (um apoiante dos Black Panthers), ajudaram à polémica. Uma tremenda, carnavalesca viagem ao coração do Outro.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/os-negros/

  • “Calderón” de Pier Paolo Pasolini

    “CALDERÓN (1973) foi a única peça teatral publicada em vida por Pasolini. Foi escrita a partir de a A Vida é Sonho do grande tragediógrafo espanhol do Século de Ouro Calderón de la Barca, mas a intriga é diferente, decorre na Espanha franquista de 1967, e desenvolve-se em três sonhos: aristocrático, proletário, médio – burguês. É sobretudo uma parábola sobre a impossibilidade de se sair da própria condição social.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/calderon/

  • “Sem alarde” de Owen McCafferty

    “Homens de 50 anos, memórias de quando tinham 16 e combatiam nas ruas de Belfast. Foi naquele pub que houve então um ataque de bomba e eles estavam em lados opostos. Uma peça subtilmente escrita por um autor que muito amamos, o que escreveu DIAS DE VINHO E ROSAS, Owen Mc Cafferty.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/sem-alarde/

  • “Divinas palavras” de Ramón del Valle-Inclán

    “A tragédia rural (que mundo, esta Galiza de cemitérios, adultérios e adros de igreja, que miséria!) que revelou mundialmente o teatro único do grande Valle-Inclán, em nova tradução. Um teatro que não parece ter sido possível.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/divinas-palavras/

  • “A vertigem dos animais antes do abate; Morro como país; …” de Dimítris Dimitriádis

    “O mais interessante autor da Grécia Contemporânea, extraordinário inventor teatral, ele que nos disse "a nossa tarefa é voltar a fazer habitar os palcos que Beckett esvaziou para sempre". Uma escrita teatral que aguarda palco - e tem de ser em breve.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-vertigem-dos-animais-antes-do-abate-morro-como-pais-procedimentos-de-regularizacao-de-diferencas-o-i-h/

  • “Bicicleta à chuva: uma história sobre bullying, coragem e amizade” de Margarida Fonseca Santos

    “Plano Nacional de Leitura. Cultura e Sociedade - Literatura - dos 9-11 anos

    Uma história sobre bullying, coragem e amizade.

    Crescer é um desafio enorme. Mas às vezes é difícil decidir que caminho devemos seguir. A Escolha É Minha é uma coleção sobre as opções que tens de tomar todos os dias com histórias de vida contadas por jovens como tu. Esta história, Bicicleta à Chuva, podia bem ser a tua ou quem sabe a de alguém que conheces.

    O Jaime carrega um enorme segredo: um grupo de rufias, os Alcaides, toma conta da sua vida de muitas maneiras, deixando-lhe o corpo e a mente com marcas difíceis de apagar.

    O Valdomiro, o chefe dos Alcaides, luta para, de alguma forma, conseguir ser importante naquele bairro tão complicado.

    Um dia, em frente à paragem do autocarro, o Jaime vê uma bicicleta antiga encostada ao muro de pedras, e desenha-a. Cai uma chuva miudinha, mas o dono da bicicleta, o Joaquim, não se incomoda com isso, e interessa-se por aquele desenhador.

    Nasce assim uma amizade capaz de revolucionar a vida do Jaime e de muitos outros. Queres saber como? Então, vem daí!

    Um livro tão comovente e emocionante que os mais novos não vão conseguir parar de ler!”

    https://booksmile.pt/livros/bicicleta-a-chuva

  • “Elogio da dúvida” de Victoria Camps

    “Aprender a duvidar implica distanciar-nos do consabido e pôr em questão os lugares comuns e os preconceitos, questionar o inquestionável. Num tempo de extremismos, antagonismos e confrontações como o que vivemos, urge antepor a dúvida às reações viscerais, aproveitadas pelos movimentos populistas para fazer crer que há soluções simples e definitivas para os problemas com que nos deparamos, por mais complexos que sejam.

    Elogio da Dúvida, da filósofa espanhola Victoria Camps, percorre as vicissitudes da dúvida ao longo da história do pensamento, e fá-lo de forma acessível a um vasto público, sem renunciar ao rigor e profundidade de quem exerce há décadas o ofício nunca terminado de duvidar.”

    https://www.bertrand.pt/livro/elogio-da-duvida-victoria-camps/24540241

  • “Onde estão os Sete?” de Enid Blyton

    “Uma iniciação à leitura perfeita para os mais pequenos e uma forma emocionante de lerem os clássicos de Enid Blyton.

    Quando Os Sete visitam uma casa assombrada, descobrem que, afinal, ela não está totalmente abandonada.

    De um momento para o outro veem-se presos lá dentro.

    E agora, como sairão de lá?”

    https://www.bertrand.pt/livro/onde-estao-os-sete-enid-blyton/24356913

  • “À procura de Grendel!: os Vikings” de Nuno Caravela

    “Olá! Somos um grupo de amigos muito especial que, juntamente com o nosso bando rival, vive aventuras e peripécias vindas dos confins do tempo. Nesta coleção, a professora de História desafiou-os a fazer uma série de filmes pré-históricos com o tema: «Heróis do Mundo». Claro que não vão faltar as trapalhadas e gargalhadas do costume. Por isso, já sabes como é: diverte-te a aprender e… junta-te ao Bando!

    Érico, o Vermelho, o lendário chefe da tribo dos Vikings, certo dia partiu da sua longínqua terra escandinava para uma aventura sem igual. O bravo Viking percorreu mares, visitou deuses, conheceu o maior herói da literatura nórdica e encontrou o mais horrível de todos os Monstros: Grendel. Mas… tudo isto para quê? Embarca nesta louca… quer dizer… bastante louca aventura com os corajosos Vikings e aprende com o Bando!

    Nota para pais e educadores!

    Esta aventura pode ser hilariante, mas todos os conteúdos foram revistos e aprovados pela professora de História Paula Fernandes. Aprender também é divertido!”

    https://booksmile.pt/livros/o-bando-das-cavernas-herois-do-mundo-5-a-procura-de-grendel

  • “Não há mais que nascer e morrer” de Rui Lage

    “Rui Lage nasceu na cidade do Porto em 1975. Publicou os livros de poesia Antigo e Primeiro, Berçário, Revólver e Corvo. Traduziu Paul Auster (Poemas Escolhidos), Pablo Neruda (Crepusculário), e Samuel Beckett (Mal Visto Mal Dito), entre outros. Ensaísta e crítico literário, é ainda autor de teatro (Não há mais que nascer e morrer) e de literatura para a infância. Está representado em diversas antologias de poesia.”

    https://www.wook.pt/autor/rui-lage/1221317

  • “Na farmácia do Evaristo” de Fernando Pessoa

    “Que Farmácia do Evaristo teria Fernando Pessoa escrito sobre o 25 de Abril, com a sua trémula mão dos 85 anos, se ainda estivesse vivo nesse «dia inicial inteiro e limpo» de 1974? Uma coisa é certa, escreveria. São inúmeros os textos de Fernando Pessoa sobre os acontecimentos políticos a que assistiu.

    Na farmácia do Evaristo, encontram-se cidadãos mais ou menos comuns, que, em diálogo, reagem, comentam e dissecam a tentativa de golpe de Estado de 18 de Abril de 1925. Para além de Evaristo, entram na conversa Mendes, um republicano democrático, o Justino dos coiros, o Canha das barbas, o coronel Bastos e José Gomes, mais conhecido por Gomes Pipa, que passa a dissecar o sistema eleitoral, a organização dos partidos e a condução destes por directórios minoritários.

    Se entramos na Farmácia com certezas, saímos dela com dúvidas e perplexidades. Na Farmácia do Evaristo, admirável conto de filosofia política de Fernando Pessoa, é um texto perturbador e incomodativo: está vivo. E quem o lê percebe porquê: é que às vezes dói.”

    https://www.guerraepaz.pt/inicio/629-a-farmacia-do-evaristo.html

  • “Consciência quântica” de Amit Goswami

    “A chave para entender deus, o universo, a vida, a morte e o sentido da existência.

    Desde a Antiguidade, Deus, a morte e o sentido da vida são temas abordados pelas diferentes religiões e, mais recentemente, enquadrados pelo materialismo científico. Mas estas duas visões do mundo parecem incapazes de dar um sentido satisfatório aos fenómenos da existência.

    Enquanto uma submete o mundo material a regras transmitidas por líderes religiosos que falam em nome de Deus, a outra suprime a espiritualidade e descarta tudo o que não pode ser explicado pela lógica newtoniana. Neste contexto, surge uma nova e integradora visão da existência e da origem com base nos princípios da Física Quântica, a consciência quântica.

     As inquietações da vida moderna e a nossa própria condição humana acabaram por exigir e provocar o surgimento de uma nova visão do mundo, unificadora, que busca a integração de mente e espírito na ciência. Desta forma, edificou-se um novo paradigma científico, focado na ideia de que a consciência (não a matéria) é o substrato de tudo o que existe.

    Há mais de duas décadas que Amit Goswami, um dos principais líderes espirituais da atualidade, se dedica a difundir uma nova visão do mundo, ligada à Física Quântica. Segundo ele, não somos apenas espírito, tão-pouco pura matéria: somos consciência quân­tica, um conceito essencial para a compreensão da nossa existência.

    Recorrendo a uma visão que integra ciência e espiritualidade, este livro transformador faz uso dos princípios quânticos para explicar pensamentos, sentimentos e intuições; sonhos; carma, morte e reencarnação; evolução e propósito, entre outros temas cruciais, para que entendamos, afinal, quem somos.

    «Amit Goswami é uma daquelas joias raras. Traz uma compreensão profunda da realidade através de uma síntese entre ciência e espiritualidade. Contribuiu, e muito, para a minha própria compreensão da natureza da existência». - Deepak Chopra”

    https://almadoslivros.pt/products/consciencia-quantica

  • “Em todos os sentidos: crónicas” de Lídia Jorge

    “Na introdução que abre este livro, Lídia Jorge define a crónica como uma homenagem ao deus que faz escorregar os grãos de areia, mirando-nos de soslaio. E acrescenta: «Como não podemos vencer o Tempo, escrevemos textos que o desafiam a que chamamos crónicas.»

    Em Todos os Sentidos, conjunto de quarenta e uma crónicas que Lídia Jorge leu, ao longo de um ano, aos microfones da Rádio Pública, Antena 2, corresponde a essa definição – são crónicas que encaram de frente a fúria do mundo contemporâneo, interpretando os seus desafios, perigos e simulacros com um olhar crítico acutilante. Mas a singularidade destas páginas de intervenção provém, sobretudo, do facto de a autora ser capaz de juntar no mesmo palco da reflexão o pensamento crítico sobre a realidade e o discurso subjectivo da memória íntima, com um olhar profundamente sentido. No interior deste livro, há páginas inesquecíveis sobre a vida humana.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/romance/em-todos-os-sentidos/

  • “A cozinha” de Arnold Wesker

    “Uma obra maior da renovação do teatro britânico no final dos anos 50. Uma obra radical. O mundo violento do trabalho e dos desejos.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-cozinha/

  • “A europeia e outros textos” de David Lescot

    “David Lescot parte de situações claramente políticas. Das escolhas políticas deste século XXI. E pergunta-se: Somos europeus porque estamos na Europa, mas está a Europa em nós? Que representação individual ou colectiva somos capazes de dar? Como antes, se preocupou com o sobre-endividamento, a auto-ajuda, estes flagelos em que vivemos. Até levar cada uma das suas peças ao paradoxo. Tão próximo de algum pensamento filosófico do século XVIII - e podemos pensar em Swift, em Defoe ou em Voltaire.”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/a-europeia-e-outros-textos/

  • “Conversa com a morte” de Giovanni Testori

    “Marcado pela morte recente da mãe, Giovanni Testori conclui aqui um processo de reconciliação com o catolicismo num texto apaziguador e fremente. Será possível um teatro religioso?”

    https://artistasunidos.pt/livrariaonline/produto/conversa-com-a-morte/

  • “Eça de Queiroz: sou um pobre homem da Póvoa de Varzim” de Gisela Silva

    “O livro Eça de Queiroz - Sou um Pobre Homem da Póvoa de Varzim introduz-nos de forma breve e agradável, no mundo e na vida de um dos mais importantes escritores portugueses de sempre.

    Com texto de Gisela Silva e ilustrações do ilustrador premiado Sebastião Peixoto, este livro, dirigido a um público juvenil, mas perfeitamente adequado a um público adulto, percorre a vida e as vivências daquele que muitos consideram o mais importante romancista e contista português.”

    https://www.bertrand.pt/livro/eca-de-queiroz-sou-um-pobre-homem-da-povoa-do-varzim-gisela-silva/23685352

  • “Tudo no seu lugar: primeiros amores e últimas histórias” de Oliver Sacks

    “Mesmo depois da sua morte em 2015, e através de textos inéditos, Oliver Sacks continua a enriquecer o mundo da ciência e da literatura com fascinantes análises sobre o cérebro humano. Tudo no Seu Lugar, a segunda obra publicada postumamente e o seu último volume de ensaios, mostra-nos mais uma vez a sua capacidade de impressionar o leitor com a sua mente curiosa. Sacks foi acarinhado por leitores devido à forma como narra a história neurológica dos seus pacientes e ao seu profundo conhecimento dos casos mais estranhos e inesperados. Tudo no Seu Lugar é um novo registo das atividades pelas quais ele se apaixonou.

    «O Poeta Laureado da medicina.» [New York Times]

    «Uma versatilidade de entusiasmos. […] permite-nos passar mais tempo na companhia de Sacks, o botânico, o historiador da ciência, o biólogo marinho e, claro, o neurologista.» [Guardian]”

    https://relogiodagua.pt/produto/tudo-no-seu-lugar/

  • “A nossa parte da noite” de Mariana Enriquez

    “A Nossa Parte da Noite, o aguardado livro da argentina Mariana Enriquez, é um romance épico, gótico, múltiplo, uma mescla de géneros e tradições literárias e onde as personagens atravessam mundos e submundos. Os temas universais da família, do poder e da eternidade cruzam-se com os de sociedades secretas e seres obscuros que procuram redefinir a natureza da vida e da morte - o terror sobrenatural entrecruza-se com terrores muito reais. Em tempos de ditadura militar, um pai e um filho atravessam a Argentina de carro, desde Buenos Aires até às cataratas de Iguaçu. Pelo caminho há operações de controlo militar e o clima geral é de grande tensão. O pai tenta proteger o filho, Gaspar, de um destino que parece estar traçado. A mãe morreu em circunstâncias pouco claras. Tal como o pai, Gaspar foi chamado a ser médium numa sociedade secreta, A Ordem — já com séculos de existência —, dominada pela poderosa família da mãe de Gaspar. O destino do médium é cruel, pois o seu desgaste físico e mental é rápido e implacável.

    Desta inicial viagem de carro partimos para uma outra viagem alucinante - com passadiços que escondem monstros inimagináveis; interiores de casas que comportam abismos e mudam subitamente sem a intervenção humana; com enigmáticas liturgias sexuais; andanças pela Londres psicadélica dos anos sessenta; a ditadura militar, os desaparecidos; e a incerta chegada da democracia.

    Considerado pelo júri do Prémio Herralde «o novo «grande romance latino-americano», na senda de Rayuela, Paradiso, Cem Anos de Solidão ou 2666, A Nossa Parte de Noite é um romance total e deslumbrante que consagra Mariana Enriquez como uma escritora fundamental das letras latino-americanas do século XXI.”

    https://www.quetzaleditores.pt/produtos/ficha/a-nossa-parte-da-noite/24074637

  • “Confissões de um travesti” de Anónimo

    “Tenho quarenta e três anos, sou casado e pai de família. (...) Nem sempre vivi fascinado pela roupa feminina. Durante muitos anos, até ao meu casamento, eram só as cuecas delas que me atraíam. Embora ainda não tivesse chegado, talvez, a altura de vestir toda a toilette de uma mulher, esse desejo crescia já em mim e esperava a ocasião para se manifestar.

    CONFISSÕES DE UM TRAVESTI apareceu pela primeira vez em 1956 na colecção «Les grandes études françaises de psychiatrie», como primeiro volume da série. As memórias deste homem anónimo contam-nos do seu fascínio por lingerie feminina e da prática do travestismo no início do século XX. As ilustrações de João Maio Pinto complementam a detalhada narrativa com um imaginário irreverente e destemido.”

    https://www.orfeunegro.org/products/confissoes-de-um-travesti

  • “O carteiro de Auschwitz” de Joe Rosenblum com David Kohn

    “O Carteiro de Auschwitz é a história verdadeira de um rapaz a quem tentaram roubar a vida e os sonhos. Apanhado no turbilhão do Holocausto, ele sobreviveu a uma sequência de acontecimentos tão angustiantes que se torna difícil acreditar que aconteceram realmente.

    Uma confiança inabalável, uma bondade sem limites. Um exemplo perfeito de bravura e caráter.

    Joe Rosenblum era ainda criança quando assistiu à invasão nazi da sua cidade na Polónia. Viveu terrores inimagináveis e foi por pouco que escapou à execução em massa de que foi vítima o seu irmão. Fugiu primeiro para uma quinta, onde trabalhou, e cujos proprietários o protegeram e ajudaram. Depois, viu-se obrigado a refugiar-se junto de ex-prisioneiros russos. A sua inacreditável jornada de sobrevivência começou após ser capturado pelos alemães.

    O mensageiro secreto que sobreviveu ao campo de concentração mais terrível da história.

    Inteligente, criativo e extremamente pragmático, Joe desafiou a morte, transportou a esperança e deu um exemplo perfeito de humanidade, otimismo e perseverança. Com uma bondade sem limites, ele entregou mensagens secretas aos prisioneiros, salvou crianças da câmara de gás e devolveu a luz ao coração dos homens num dos períodos mais terríveis da história mundial.

    Uma poderosa mensagem de fé e esperança na humanidade.”

    https://almadoslivros.pt/products/o-carteiro-de-auschwitz

  • “História global de Portugal” dirigido por Carlos Fiolhais, José Eduardo Franco e José Pedro Paiva

    “«Portugal foi ponto de chegada e de partida de gentes, culturas, línguas, ideias, tendências de gosto, comportamentos, crenças, instituições, produtos que sempre foram variáveis e que aqui e nos ubíquos lugares onde chegaram imprimiram sinais de miscigenação plurimodal, que foram enriquecendo as cores do mundo, mas também provocando disrupções, violência, tantas vezes guerra, sofrimento e fenómenos de resistência. Portugal é o resultado de incontáveis dinâmicas de diálogo e de choque com outros lugares. E o mundo tem traços das mediações que os habitantes do espaço de Portugal espalharam. É esta fascinante história que aqui se pretende contar para melhor percebermos quem somos e o mundo em que vivemos.»

    Esta obra conta com a colaboração de 87 autores que trabalham não só em Portugal como por todo o globo, portugueses e não portugueses, especialistas nas mais diversas subáreas da História, como história política, história institucional, história geográfica, história cultural, história da ciência, história económica, história social, história da arte e história religiosa.”

    https://www.temasedebates.pt/produtos/ficha/historia-global-de-portugal/23891852

  • “A humanidade dos monstros: representação e anamorfose” de H. G. Cancela

    “Quem vê melhor, o agressor ou a vítima? Quem empunha a arma ou quem suporta a violência? Quem agride ou quem sofre? Quem toca ou quem sente? Qual dos olhares, qual das experiências nos mostraria com mais veracidade o acontecimento? A frieza do agressor ou o medo da vítima? O poder de um ou a sujeição do outro?

    Quem vê melhor, quem age ou quem observa? Quem está no palco ou quem está na plateia? Quem escreve, quem lê? Quem pinta, quem vê? Quem diz, quem ouve? Quem pergunta, quem responde?”

    https://relogiodagua.pt/produto/a-humanidade-dos-monstros/

  • “Holocausto” de Irene Flunser Pimentel

    “Quando ocorreu a Shoá e que etapas levaram a esse crime? Quando souberam os Aliados e o mundo da Shoá, e poder-se-ia tê-la evitado? Como e quando soube o governo português do genocídio nazi dos judeus europeus? Esteve também Portugal, embora neutral, na rota da Shoá? Como foram descobertos os campos de concentração e de extermínio e de que forma foram julgados os criminosos nazis? E a opinião pública portuguesa, a viver em ditadura, quando e o que soube?

    «É para desfazer confusões, contribuindo para um conhecimento maior da Shoá, e também do papel de Portugal face a esse terrível acontecimento, com base na minha própria investigação, mas também na profusa bibliografia existente sobre o tema, em geral, e relativamente a Portugal, em particular, que proponho este livro.»”

    https://www.temasedebates.pt/produtos/ficha/holocausto/23639903

  • “Coração de vidro” de José Mauro de Vasconcelos

    “Do premiado autor de O Meu Pé de Laranja Lima, vencedor do Prémio Jabuti de Romance.

    As quatro histórias que compõem este livro têm como cenário uma fazenda no Brasil e estão ligadas entre si. Os protagonistas são seres vivos inocentes que são afetados pela irresponsabilidade e pela insensibilidade do Homem. São eles: um pássaro azul, um peixe vermelho, um cavalo louro e uma mangueira frondosa, cheia de sonhos.

    O tempo passa e as mudanças fazem-se sentir no espaço e na vida de todos os seus habitantes.

    «Coração de Vidro é de 1964. Ainda era uma época em que não se falava tanto assim na destruição do equilíbrio ecológico do Planeta. Mesmo assim, como se previsse o que viria, o livro transforma a relação do ser humano com a natureza — e a preservação do meio ambiente — em histórias simples, mas tocantes, de amor e perda. Tantos anos depois, estas fábulas estão aqui para nos fazer pensar que deixar para trás essa magia tem que ver com os riscos à sobrevivência da Terra.»”

    https://fabula.pt/livros/coracao-de-vidro2

  • “A íris selvagem” de Louise Glück

    “Louise Glück recebeu o Prémio Nobel da Literatura de 2020. Na justificação da Academia Sueca fala-se da sua "inconfundível voz poética, que, com uma beleza austera, tornou universal a existência individual".

    Tanto em Averno (2006) como em A Íris Selvagem (1992), a autora recorre a imagens recriadas da sua herança clássica pelos poetas greco-latinos, o que lhe permite usar imagens universais para abordar a dor e a fragilidade dos seres humanos dos nossos dias. Louise Glück recebeu alguns dos principais prémios literários norte-americanos, tendo A Íris Selvagem sido contemplado com o Pulitzer.”

    https://www.bertrand.pt/livro/a-iris-selvagem-louise-gluck/24546619

  • “Manifesto” de Afonso Dias

    “Afonso Dias, músico, cantor, poeta e ator, foi militante antifascista e, depois do 25 de Abril de 1974, um dos fundadores, a par de Fausto e José Mário Branco, entre outros, do GAC – Grupo de Acção Cultural, que promoveu centenas de espetáculos em todo o país nos anos seguintes.”

    https://regiao-sul.pt/2020/12/03/artes-e-espetaculos/faro-afonso-dias-apresenta-hoje-livro-de-poesia-manifesto/519242

  • “Da organização do espaço” de Fernando Távora

    “Neste ensaio sobre 'a organização do espaço', Távora tenta dar um passo importante no seu discurso: a passagem das dimensões arquitectónicas do espaço que experimentava como designer, no estirador e nas obras, para os problemas da organização da cidade e do território, plano em que dimensões socioeconómicas passam a variáveis decisórias estratégicas.”

    https://www.wook.pt/livro/da-organizacao-do-espaco-fernando-tavora/175166

  • “Uma vida de aldeia” de Louise Glück

    “Em Uma Vida de Aldeia, Louise Glück evoca um mundo mediterrâneo com uma precisão luminosa, centrando-se em momentos de observação e reflexão num tempo presente irreal.”

    https://www.bertrand.pt/livro/uma-vida-de-aldeia-louise-gluck/24566038

  • “Curso de processo de execução” de Fernando Amâncio Ferreira

    “Destinou-se esta obra, quando surgiu, aos nossos alunos da disciplina de Processo Civil II do curso de direito da Universidade Independente, cuja regência assumimos nos anos lectivos de 1997a 2001. E, para se manter fiel ao seu carácter didáctico, continua a recusar-se nela, como regra, o estudo aprofundado de temas processuais específicos, preferindo-se a análise de toda a realidade processual executiva.

    Assim, depois da revista dos pressupostos processuais específicos da acção executiva, passou-se ao exame do processo comum de execução, onde se considerou a sua disciplina geral e a matéria pertinente às execuções para pagamento de quantia certa, para entrega de coisa certa e para prestação de facto, para depois se atentar nas especificidades dos recursos em processo executivo e se ultimar com uma análise precursora da execução das providencias cautelares.”

    https://www.almedina.net/curso-de-processo-de-execu-o-1563794774.html

  • “Raul Brandão íntimo” de Vitorino Nemésio

    “Vitorino Nemésio conheceu e conviveu com Raul Brandão de uma forma próxima e cúmplice. Frequentou a sua casa e partilhou destinos de viagens, compreendeu as suas angústias e registou as suas alegrias. Compreendeu a sua Obra e ajudou a engrandecê-la.

    Neste pequeno grande livro estão reunidos textos que Vitorino Nemésio escreveu sobre Raul Brandão relatando aspectos importantes dessa amizade e dessa convivência próxima, permitindo-nos assim conhecer um pouco melhor o dia-a-dia e a psicologia do autor de Húmus.”

    https://www.wook.pt/livro/raul-brandao-intimo-vitorino-nemesio/20862726

  • “A noite está a chegar” de Robert Bryndza

    “Robert Bryndza, o mestre do suspense e autor do bestseller A Rapariga no Gelo, está de volta com um emocionante novo caso da detetive Kate Marshall.

    Quando o corpo de um jovem é encontrado a flutuar no reservatório de Shadow Sands, as autoridades classificam-no como um trágico acidente. Mas os detalhes não batem certo. O que fazia a vítima ali, a meio da noite? Se era um excelente nadador, porque se afogou?

    Assim que a detetive Kate Marshall começa a seguir as pistas do caso, descobre um rasto sangrento que aponta na direção de um assassino em série ativo, escondido da vista de todos. A vítima é, simplesmente, a última de várias mortes misteriosas e desaparecimentos ligados a uma mítica figura que se esconde na névoa. Kate entra numa corrida contra o tempo para apanhar o responsável e evitar outra morte.

    O problema é que o perturbador assassino que ela procura não é o único a estar um passo à frente da polícia. Existe mais alguém interessado em certificar-se de que os segredos de Shadow Sands se mantêm esquecidos e bem enterrados.

    Podemos fugir de alguém que não sabemos que existe?

    Robert criou esta série de suspense policial baseada na personagem central Kate Marshall, uma agente da polícia que se tornou detetive particular. O primeiro livro, Mistério em Nine Elms, foi um dos mais vendidos da Amazon USA e um dos cinco melhores da Amazon UK, e a série foi vendida para tradução em 15 países.

    A sua estreia nos policiais, A Rapariga no Gelo, vendeu mais de um milhão de livros, alcançando o número um nas tabelas da Amazon no Reino Unido, Estados Unidos e Austrália tendo os direitos de tradução sido vendidos para 29 países. Publicou mais cinco romances na série Erika Foster, todos bestsellers globais.”

    https://almadoslivros.pt/products/a-noite-esta-a-chegar

  • “Os jesuítas: missões, mitos e histórias” de Jonathan Wright

    “Este livro narra a história da ordem religiosa mais importante e emblemática da gesta católica romana. Ao longo de cinco séculos, membros da Companhia de Jesus foram acusados de conspirar contra reis e presidentes, viajaram como missionários para todos os cantos do mundo, desbravaram florestas na América central e do Sul, exploraram os rios Mississipi e Amazonas e foram cartógrafos, pintores e astrónomos na corte de imperadores chineses. Amada e detestada, a Companhia de Jesus causou tão grande impacto dramático e exerceu tão vasta influência que é impossível ignorar o seu papel na História. Os Jesuítas de hoje continuam activos nos mundos da ciência e da política, da educação e da devoção, desempenhando o seu papel nas complexas transformações da moderna Igreja Católica.”

    https://www.quetzaleditores.pt/produtos/ficha/os-jesuitas/77290

  • “A migração das alforrecas” de Rui Cerqueira Coelho

    “Vencedor Prémio Branquinho da Fonseca Expresso Gulbenkian 2019

    As alforrecas são animais marinhos. Ou eram, até eu ter começado a vê-las em sítios bem diferentes do que seria de esperar. Talvez fossem migratórias, mas isso não explicava tudo. Se calhar, as alforrecas eram animais marinhos até precisarem de ser outra coisa, e “coisa” é uma palavra que dá para quase tudo.”

    https://www.livroshorizonte.pt/produto/a-migracao-das-alforrecas/

  • “Os postais da Primeira República” de António Ventura

    “Os postais que seleccionámos para este livro são apenas isso: uma selecção, feita a partir de um universo imenso e riquíssimo. Vão acompanhados, sempre que possível, de notas explicativas e identificativas sumárias.

    São uma amostragem representativa que nos permite revisitar esse universo colorido e fantástico que ajudou a povoar o imaginário português desses tempos conturbados, no momento em que assinalamos o Centenário da República.”

    https://tintadachina.pt/produto/os-postais-da-primeira-republica/

  • “Stasiland: do outro lado do Muro de Berlim” de Anna Funder

    “Stasiland" é um livro sobre indivíduos que resistiram ao regime da Alemanha Oriental e outros que trabalhavam para a sua polícia secreta, a Stasi.

    Em 1989, o Muro de Berlim caiu; pouco depois as duas Alemanhas uniram-se e a Alemanha Oriental deixou de existir. Neste livro, Anna Funder conta histórias extraordinários do ponto de origem da antiga Alemanha Oriental, incluindo a história de Miriam, que aos 16 anos de idade poderia ter iniciado a Terceira Guerra Mundial.”

    http://www.bm-anadia.pt/Nyron/Library/Catalog/winlibsrch.aspx?skey=6260A94A957E496BB7B1BE247FE1E09E&cap=1%2c2%2c3%2c4%2c9%2c10&pesq=2&var0=stasiland&opt0=and&t01=stasiland&t02=and&t03=0&doc=75550

  • “Profundo como o mar” de Jacquelyn Mitchard

    “Bastou um instante para que, naquele átrio de hotel onde Beth ia rever os seus ex-colegas de liceu, Ben, o seu filho de três anos, largasse a mão do irmão mais velho e desaparecesse sem deixar rasto. A sua ausência viria a fecundar com sementes de disfuncionalidade um terreno familiar banal, votando todos os seus elementos a uma profunda agonia. Diante das trevas da perda, restou-lhe o questionamento da essência da humanidade e a amarga criação de uma nova matriz familiar composta por agentes marcados, envelhecidos, adultos. Mas bastou um dia, apenas um dia, nove anos depois do desaparecimento, para que Beth, e consequentemente toda a família, erguesse um novo edifício de afectos... Apenas a abordagem de um jovem que durante todos aqueles anos morara somente a alguns metros de distância…”

    https://www.fnac.pt/Profundo-Como-o-Mar-Jacquelyn-Mitchard/a88860

  • “Lenin oil” de Pedro Rosa Mendes

    “O poder do petróleo na África misteriosa. História de um agente norte-americano, residente em São Tomé que trabalha para o Departamento de Estado recolhendo informação sobre o petróleo. Este homem encontra um nativo, Lenin, que tem uma pseudo- empresa de representações chamada Lenin Oil, e participa, simultaneamente, de uma conspiração para derrubar o corrupto sistema político da ilha. A narração decorre em três tempos, sempre pela voz do agente americano: narração exterior dos acontecimentos, cartas dele para o Departamento de Estado e cartas a um amigo, muito mais íntimas, e de tonalidade onírica, penetradas pelos mistérios de África. Os personagens centrais serão devorados pelos acontecimentos: a malária e a revolta.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/literatura/literatura-classica/lenin-oil/

  • “Raul Solnado: a vida não se perdeu” de Leonor Xavier

    “Raul Augusto Almeida Solnado nasceu na Madragoa, Lisboa, em 19 Outubro de 1929. Este foi o bairro que o viu nascer, crescer e estrear-se nos palcos da Sociedade Guilherme Cossoul. A convite de José Viana, em 1951, participa no espectáculo Sol da Meia-Noite, no Maxime, e aqui começa uma carreira com meio século, com sucesso no Brasil e em África.

    Esta biografia dá-nos a conhecer a vida dentro e fora dos palcos do maior humorista português, as amizades e as paixões, os amigos que partiram, os segredos guardados para lá das cortinas e das câmaras. Raul Solnado - A vida não se perdeu revela-nos a história ímpar de um homem que amou uma cidade, uma arte e que vivendo sob o signo do êxito ensinou um país a rir.

    «Vivia como um sonho, já não tinha que inventar desculpas por entrar em casa de madrugada. Cheguei junto do meu pai e disse-lhe que não se preocupasse mais comigo. Disse-lhe também que não trabalharia mais na oficina, nem estudar contabilidade. Queria ser actor.»

    «Nós, os do teatro, somos vendedores de sonhos. O público compra um bilhete e não leva nada para casa. Se entra numa loja e compra uma gravata, leva uma gravata. Aqui leva sonhos.»

    «Quando Deus me estende a mão, aperto-lha com cordialidade e depois despeço-me, dizendo-lhe que tenho de ir ao trabalho.»”

    http://oficinadolivro.pt/pt/biografias/raul-solnado-a-vida-nao-se-perdeu-2/

  • “O tempo de perfil: obra poética, 1980-2005” de Luísa Freire

    “« [...] uma poesia exigentemente sóbria, liricamente reflectida na medida em que aparece muitas vezes próxima dos “lábios fechados /pesados (de silêncio”. É uma expressão contida, onde as emoções e os afectos podem defluir para uma visão desencantada capaz de se revelar como a “minha véspera de não-ser.”»

    Fernando Guimarães, JL

    «Dos dezasseis títulos presentes neste volume (e que representam o trabalho poético de um quarto de século), apenas cinco foram já publicados anteriormente: Verde-Nunca, Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1985; Searas de Tempo, Digo Tu e Memórias da Cal, reunidos em Ciclo da Cal, Porto, Campo das Letras, 2003; Imagens Acidentais (juntamente com Imagens Orientais), Lisboa, Assírio & Alvim, 2003. De referir ainda que, por opção própria, ficam fora deste conjunto quatro outros títulos, escritos na década de 70 e publicados em 1979, 1980 e 1981.

    Daqui se conclui não ser esta publicação uma “poesia completa” e, menos ainda, uma “poesia reunida”, já que a grande maioria dos títulos se manteve inédita até à presente data.»

    Luísa Freire”

    https://www.assirio.pt/produtos/ficha/o-tempo-de-perfil/11237572

  • “Eu quero ser... pirata”

    “Não seria tão divertido ser um pirata? Mares desconhecidos, navios inimigos e um mapa do tesouro estão à espera de serem descobertos neste encantador livro de tocar e sentir.”

    https://www.wook.pt/livro/quero-ser-pirata/15270961

  • “Pafi e o incêndio no parque de merendas” de Lara Xavier

    “O raposinho Pafi demonstra o comportamento dos bombeiros numa situação de incêndio e ensina-nos a proteger as florestas.”

    https://www.goodreads.com/book/show/40640309-pafi-e-o-inc-ndio-no-parque-de-merendas

  • “Last christmas” realizado por Paul Feig

    “Depois de sobreviver a um grave problema de saúde, Kate perdeu a alegria que tanto a caracterizava. Hoje, a sua vida resume-se a uma série de más decisões, entre elas um emprego como elfo numa loja de Natal aberta todo o ano, algo que a faz sentir cada vez mais inútil e desmoralizada. Um dia conhece Tom, um homem atencioso que, ao contrário dela, consegue encontrar beleza em tudo o que o rodeia. Com tempo e muita paciência, ele vai fazer ressurgir a Kate de outrora, alegre, doce e sempre disponível para ajudar quem precisa.”

    https://www.fnac.pt/Last-Christmas-DVD-Madison-Ingoldsby-DVD-Zona-2/a7614919

  • “Terror na auto-estrada” realizado por Robert Harmon

    “Rutger Hauer protagoniza este clássico do suspense. Jim Halsey oferece boleia a um homem que parece estar em apuros. Este gesto amável mudará a sua vida para sempre assim que deixa o terror entrar no seu carro. O caos, o sangue e a destruição convertem-se nos seus novos companheiros de viagem…”

    https://filmometro.blogs.sapo.pt/128158.html

  • “Tudo bons rapazes” realizado por Martin Scorsese

    “Quando Martin Scorcese, um dos mais talentosos e respeitado realizador do mundo, se juntou com o vencedor de dois Oscares da Academia Robert De Niro em Tudo Bons Rapazes, o resultado foi um dos mais poderosos filmes de sempre. Baseado no "best-seller" Wiseguy de Nicholas Pileggi que relata uma história real, e conta com uma fantástica anda sonora de velhos êxitos pop/rock, Tudo Bons Rapazes foi aclamado pela crítica e espectadores de todo o mundo.

    Foi nomeado para seis Oscares da Academia incluindo o de Melhor Filme e Melhor Realizador. Robert De Niro foi largamente aplaudido pelo seu desempenho como o veterano criminoso Jimmy "The Gent" Conway. E como o instável Tommy DeVito, Joe Pesci arrecadou o Oscar de Melhor Actor Secundário.

    A também nomeada Lorraine Bracco, Ray Liotta e Paul Sorvino também nos oferece actuações electrizantes. Tem de ver para acreditar - e voltar a ver. Tudo Bons Rapazes explora o mundo do crime como nenhum outro filme.”

    https://www.fnac.pt/Tudo-Bons-Rapazes-ROBERT-DE-NIRO-RAY-LIOTTA-DVD-Zona-2/a538862

  • “Quem bate à minha porta?” realizado por Martin Scorsese

    “Quem Bate à Minha Porta? apresenta J.R. (Harvey Keitel), um desempregado feliz da vida, que passa seus dias saindo com seus amigos, em Nova York. Porém, quando ele reencontra uma amiga de faculdade, apaixona-se por ela e passa a questionar todos a sua volta e a própria vida.

    Este é o primeiro longa-metragem da ilustre carreira de Martin Scorsese, uma obra de baixo orçamento que funciona como um experimento e conta com inúmeras das características que o diretor aprimoraria com o passar do tempo. Além de assumir a direção, Scorsese também é responsável pelo roteiro e faz uma breve aparição como ator.

    Sua história inicia aqui uma temática importante que é vista também no excelente Caminhos Perigosos: a influência do catolicismo no comportamento de seus adeptos. É perceptível também em sua direção alguns detalhes que vemos constantemente em seus filmes, como os planos-sequência, a trilha sonora marcante (aqui com direito a The Doors) e as imagens do universo onde as ações se passam a partir do alto.”

    http://www.teatrocamarim.com.br/noticias/noticias-cinema/201-%E2%80%9Cquem-bate-%C3%A0-minha-porta%E2%80%9D,-o-primeiro-longa-metragem-de-scorsese

  • “Alice já não mora aqui” realizado por Martin Scorsese

    “Ellen Burstyn, num admirável desempenho que lhe mereceu o Óscar de Melhor Actriz em 1974, é Alice Hyatt, uma mulher que ficou recentemente viúva e agora viaja com o filho numa carrinha repleta, no trilho difícil de uma vida melhor. Com Alice Já Não Mora Aqui, o realizador Martin Scorsese mostra-se tão à-vontade no ambiente rural do Sudoeste americano, como nos ambientes urbanos dos seus filmes mais célebres. O realizador faz sua a máxima "vive um pouco, aprende muito" de Alice, narrando a odisseia desta mulher com uma lucidez isenta mas apaixonada, e inspirando interpretações inolvidáveis do restante elenco: Kris Kristofferson, Alfred Lutter, Jodie Foster, Harvey Keitel, Vic Tayback e Dianne Ladd, (merecedora de uma nomeação* ao Óscar). Uma fatia de vida real, com toda a autenticidade, alegria que alguma vez pudemos esperar ver no cinema... ou esperamos viver... * Melhor Actriz Secundária”

    https://mag.sapo.pt/cinema/filmes/alice-ja-nao-mora-aqui

  • “Autoperfeição com hatha yoga: um clássico sobre saúde e qualidade de vida” de Hermógenes

    “Um guia para o entendimento e a prática do yoga, acompanhado de dicas para educação alimentar, relaxamento e atitude mental. Hatha Yoga, também conhecido como Yoga de força, tem o poder de curar, de erguer, de apaziguar, de libertar. As práticas de ásanas, posturas que nos ajudam a desenvolver mais consciência corporal, e os exercícios respiratórios chamados pranayanas proporcionam flexibilidade, equilíbrio, melhor condicionamento e uma vida de excelente qualidade. O professor Hermógenes, maior nome do Yoga no Brasil, acompanhou milhares de casos, levantou hipóteses, chegou a conclusões e desenvolveu seu método de validade fartamente comprovada: um trabalho de grande potencial terapêutico capaz de reduzir o sofrimento humano. Autoperfeição com Hatha Yoga vai lhe explicar por que Yoga não é ginástica nem religião. É um autotreinamento integral que tem por objetivo maior trazer bem-estar físico e espiritual. Autoperfeição com Hatha Yoga já se tornou um clássico. Esta edição foi revista pelo Dr. Marcos A.F. Fulco, psicanalista clínico e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, uma consultoria médica que enriqueceu ainda mais o método proposto pelo autor. “Hermógenes é o mestre do espírito. É um anjo protetor da dimensão espiritual do ser humano. Sua irradiação inspira a todos que buscam um espaço para Deus. Hermógenes é um homem de Deus.” - Leonardo Boff”

    https://www.amazon.com.br/Autoperfei%C3%A7%C3%A3o-com-Hatha-Yoga-qualidade/dp/8576848694

  • “Coronavírus: um vírus assassino: vírus desconhecido ou arma biológica?” de Igor Prokopenko

    “O coronavírus apareceu na China no final de 2019. Durante o primeiro mês, as estatísticas confirmaram 32 mil casos. Não há cura nem vacina, há centenas de mortes. De onde veio este vírus, desconhecido da ciência?

    Segundo a versão oficial, a fonte de infeção é o mercado Huanan. Houve um acidente fatal: alguém estava a vender carne de animais selvagens, outra pessoa não lavou as mãos antes de comer. Podemos confiar nesta versão?

    - O vírus estava pronto para transmissão entre humanos e a reação em cadeia começou imediatamente. Porque não acontecera antes?

    - O que dizem os participantes e as testemunhas oculares da tragédia de Wuhan?

    - Há alguma razão para dizer que o número real de vítimas do novo coronavírus é dez vezes maior e que cresce rapidamente?

    - Estará a humanidade no limiar de uma pandemia letal?

    - Como se proteger de uma doença terrível?”

    https://www.presenca.pt/products/coronavirus-um-virus-assassino

  • “Uma escola sem ruído” de Margarida Fonseca Santos

    “Alguns dos melhores autores e ilustradores nacionais unem-se na coleção «O meu planeta» com uma missão comum: ajudar a criar consciência ambiental nos mais novos. Afinal, não há tema mais urgente do que transmitir a importância da preservação do planeta Terra, de forma a garantir o seu futuro.

    Na aldeia dos avós do António, não há barulho. Que estranho! Na cidade, estava habituado a tantos sons a toda a hora… Nesta aventura, ele aprende que o silêncio também é necessário e agradável! Este livro inclui ainda um jogo de tabuleiro sobre a poluição sonora.”

    https://www.zeroaoito.pt/product-page/o-meu-planeta-uma-escola-sem-ru%C3%ADdo

  • “As mulherzinhas” realizado por Gillian Armstrong

    “As irmãs March tentam tirar partido da sua vida diária, enquanto esperam notícias do seu pai, ao serviço do exército nortista na Guerra Civil Americana. Esta é a adaptação de 1994 do romance Louisa May Alcott, que conta com realização de Gillian Armstrong e um elenco de luxo liderado por Winona Ryder, Gabriel Byrne, Kirsten Dunst, Claire Danes e Susan Sarandon.”

    https://www.magazine-hd.com/apps/wp/grandes-filmes-tv-6-12-janeiro/3/

  • “Nova Iorque fora de horas” realizado por Martin Scorsese

    “Um escriturário aborrecido, sério e reprimido (Griffin Dunne) embarca numa noite de farra, sem suspeitar que está prestes a tornar-se na vítima de uma enorme anedota cósmica, porque as regras do jogo mudam quando estamos em Nova Iorque Fora de Horas.

    O realizador Martin Scorsese, um nova-iorquino nato, lança um olhar corrosivo sobre a sua cidade favorita nesta comédia negra visionária que lhe valeu os prémios de Melhor Realizador nos Independent Spirit Awards de 1985 e no Festival de Cannes de 1986. Esta improvável crónica, sobre a odisseia de um homem na pior noite da sua vida, é enriquecida pela presença de Rosanna Arquette, Linda Fiorentino, Teri Garr, Catherine O'Hara, Cheech & Chong e inúmeras outras personagens que cruzam o caminho do nosso infeliz herói.

    Scorsese notou que o provocante argumento de Joseph Minion era como um "puzzle chinês" - divirta-se a juntar as peças.”

    https://www.wook.pt/filmes/nova-iorque-fora-de-horas-dvd-video-martin-scorsese/2843811

  • “Aqui está-se sossegado” de Camané e Mário Laginha

    “O fadista Camané e o pianista Mário Laginha editam o seu primeiro álbum em duo: Aqui Está-se Sossegado.

    11 temas retirados ao cancioneiro do Fado ou à carreira de Camané e 5 temas inéditos, nascidos de uma longa cumplicidade de anos entre dois músicos de eleição, descoberta primeiro em palco e só depois em estúdio.

    Juntos, Camané e Mário Laginha propõem um momento íntimo num confortável salão da casa que mobilaram. Um piano que serve uma voz que serve um piano, e que juntos servem as palavras de alguns dos maiores poetas portugueses, clássicos e contemporâneos, e as melodias ora do Fado tradicional ora da pena de compositores inspirados.”

    https://www.fnac.pt/Camane-Aqui-Esta-se-Sossegado-CD-CD-Album/a7216380

  • “Eva” de Cristina Branco

    ““Eva” constitui o título do mais recente álbum de Cristina Branco. O trabalho afirma declaradamente que Cristina Branco é definitivamente uma das mais importantes personalidades da música portuguesa dos últimos tempos. Ao longo da carreira já foi premiada pelo "Menina" (Melhor Disco de 2017 pela Sociedade Portuguesa de Autores) e nomeada para o Globo de Ouro de Melhor Intérprete Individual). Os espectáculos por toda a Europa multiplicam-se e indicam que a designação de «fado-jazz» vem fazendo cada vez mais sentido. Recentemente, Cristina Branco estreou-se como escritora, numa partilha muito pessoal a que chamou "RoadCook". Um livro de alimentação saudável para dias na estrada, à descoberta da dieta alcalina. A construção da narrativa de um percurso único de Cristina Branco continua a ser reconhecido para além fronteiras.”

    https://www.fnac.pt/Cristina-Branco-Eva-CD-CD-Album/a7564657

  • “Abominável” realizado por Jill Culton

    “Xangai (China). Desde a morte do pai que Yi se sente vazia e incompreendida. Um dia, ao refugiar-se no terraço do prédio onde vive, depara-se com algo absolutamente espantoso: uma grande e peluda cria de yeti. Compreendendo que o animal precisa de ajuda, a adolescente decide que tem de o levar de volta a casa, situada no alto do monte Evereste, Himalaias. Com a ajuda de Jin e Peng, os seus dois melhores amigos, Yi espera tornar isso possível. Mas a tarefa vai revelar-se ainda mais complexa do que seria de esperar, pois depressa se dão conta de que estão a ser perseguidos por cientistas gananciosos que tudo farão para capturar o jovem yeti.”

    https://www.fnac.pt/Abominavel-DVD-Chloe-Bennet-DVD-Zona-2/a7529961

  • “As aventuras do Dr. Dolittle” realizado por Stephen Gaghan

    “O famoso médico e naturalista inglês John Dolittle foi, em tempos, muito requisitado por todos os que padeciam de doenças e enfermidades. Contudo, desde a trágica morte da mulher, há sete anos, que se transformou num eremita, evitando ao máximo o contacto humano. Em contrapartida, rodeou-se de várias espécies de animais, que consegue compreender melhor do que ninguém, já que conhece a sua linguagem secreta. Mas quando é contactado pela jovem Rainha Vitória, que se encontra gravemente doente, vê-se na obrigação de deixar a reclusão e de a ajudar. É assim que, na companhia dos seus amigos não-humanos, Dolittle empreende uma grande viagem até uma ilha misteriosa, onde espera encontrar a cura da rainha. No processo, vai reencontrar a sua humanidade perdida e recuperar o gosto pela vida.”

    https://www.fnac.pt/As-Aventuras-do-Dr-Dolittle-DVD-Robert-Downey-Jr-DVD-Zona-2/a7615778

  • “Os miseráveis” um filme de Ladj Ly

    “Oriundo de Cherbourg, na Normandia, Stéphane Ruiz (Damien Bonnard) acaba de se mudar para Montfermeil, nos subúrbios de Paris, para se juntar à Brigada Anti-Crime (BAC). Na sua equipa estão Chris e Gwada (Alexis Manenti e Djebril Zonga, respectivamente), dois polícias veteranos conhecidos pelos métodos bastante controversos de lidar com a criminalidade. Em poucos dias, Stéphane dá-se conta da enorme tensão entre os habitantes daquele lugar – sejam criminosos ou pessoas comuns – e as autoridades. Tudo ganha novas proporções quando uma criança filma, com o seu drone, uma operação policial.”

    https://www.fnac.pt/Os-Miseraveis-DVD-Damien-Bonnard-DVD-Zona-2/a7551465

  • “Bad boys para sempre” produzido por Jerry Bruckheimer, Will Smith e Doug Belgrad

    “Em "Bad Boys para Sempre", Will Smith e Martin Lawrence estão de regresso às ruas de Miami, a dar corpo aos detectives Mike Lowrey e Marcus Burnett, do Departamento de Narcóticos. Agora, ao mesmo tempo que lidam com problemas a nível pessoal – que incluem mudanças de carreira, envelhecimento e crises de meia-idade –, vão ter de enfrentar Armando Armas, o líder do mais perigoso cartel de drogas a actuar em todo o estado da Flórida.”

    https://www.fnac.pt/Bad-Boys-Para-Sempre-DVD-Will-Smith-DVD-Zona-2/a7615773

  • “Zombieland: tiro duplo” realizado por Ruben Fleischer

    “Dez anos depois das aventuras relatadas em "Bem-vindo a Zombieland", Columbus (Jesse Eisenberg), Tallahassee (Woody Harrelson), Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin) criaram laços de uma verdadeira família. Apesar dos seus métodos de sobrevivência pouco comuns neste aterrorizante mundo pós-apocalíptico, os quatro tornaram-se especialistas em identificar e eliminar "zombies" de toda a espécie, levando uma existência relativamente tranquila. Até ao dia em que, contra todas as expectativas – ou talvez nem tanto –, Little Rock foge com um jovem "hippie" que conheceu e por quem se apaixonou perdidamente. Os outros, mortos de preocupação, resolvem seguir-lhe o rasto e acabar de vez com aquela loucura...”

    https://www.fnac.pt/Zombieland-Tiro-Duplo-DVD-Woody-Harrelson-DVD-Zona-2/a7385215

  • “O adeus à noite” um filme de André Téchiné

    “Muriel (Catherine Deneuve) fica emocionada ao ver Alex (Kacey Mottet Klein), o seu neto, que veio passar alguns dias a casa dela, antes de ir morar para o Canadá. Intrigada com o comportamento do neto, rapidamente descobre que há toda uma realidade que ela desconhece. Desesperada com as possíveis consequências das acções de Alex, Muriel terá de agir muito rapidamente, antes que seja tarde demais...”

    https://www.fnac.pt/O-Adeus-a-Noite-DVD-CATHERINE-DENEUVE-KACEY-MOTTET-DVD-Zona-2/a8018420

  • “Cats” realizado por Tom Hooper

    “Em 1981, Andrew Lloyd Webber estreou "Cats", um musical de palco com todas as falas cantadas que se tornou um dos maiores e mais duradouros êxitos tanto da Broadway nova-iorquina quanto do West End londrino. Já de si uma adaptação livre de uma colecção de poemas de T.S. Eliot, "Cats" recebe agora uma versão cinematográfica pela mão de Tom Hooper ("O Discurso do Rei", "Os Miseráveis"), com argumento de Lee Hall, o responsável pelos guiões de "Billy Elliot" e "Rocketman".

    A acção, que gira à volta de figuras como James Corden, Judi Dench, Jason Derulo, Idris Elba, Jennifer Hudson, Ian McKellen ou Taylor Swift transformadas em gatos via efeitos computorizados, passa-se ao longo de uma só noite no seio de uma tribo de gatos que têm de escolher um deles para ascender a uma das camadas ionosféricas.”

    https://www.fnac.pt/Cats-DVD-Jennifer-Hudson-DVD-Zona-2/a7614922

  • “Encarnação e imagem: uma abordagem histórico-teológica a partir dos três discursos em defesa das imagens sagradas de São João Damasceno” de Isabel Maria Alçada Cardoso

    “Esta obra apresenta uma abordagem histórico-teológica a partir dos três discursos em defesa das imagens sagradas de São João Damasceno. Trata-se de um ensaio teológico sobre a arte sacra, a iconografia e a iconoclastia, e a própria imagem de Cristo na história e na teologia, especialmente nos primeiros tempos.”

    https://paulus.pt/encarnacao-e-imagem-

  • “Carta a um filho” de Rudyard Kipling e Mauro Evangelista

    “Plano Nacional de Leitura. Livro recomendado para o 4º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada.

    O poema conhecido como Carta a um Filho, que anima estas páginas, escrito em versos e contado com imagens, foi composto por Rudyar Kipling em 1910. Em 1995, uma sondagem da BBC apontou-o como o poema mais apreciado na Grã-Bretanha.

    Citado em filmes e canções, traduzido em todo o Mundo, invocado pelos mais velhos, ampliado em cartazes, reduzido em postais, é um poema duro, que exorta a nunca se render, a andar sempre de cabeça levantada, a não se deixar enganar, a não perder o sentido da responsabilidade inclusive nas circunstâncias mais adversas. Ater-se a este código de conduta é, sem dúvida alguma, muito difícil, sugeri-lo a um filho, audaz e exagerado. Mas este discurso dito em voz alta, solene, calmo, íntegro, sem medo de utilizar palavras transcendentes, evoca um mundo de nobres valores luminosos e eternos.”

    https://www.bertrand.pt/livro/carta-a-um-filho-mauro-evangelista/9857562

  • “Os homens do xá: o golpe no Irão e as origens do terrorismo no Médio Oriente” de Stephen Kinzer

    “«A brilhante reconstrução que Stephen Kinzer faz do golpe de estado no Irão é ainda mais fascinante pelo simples facto de ser verdadeira. É tão apaixonante como um thriller e explica‑nos muito sobre as razões pelas quais os Estados Unidos estão hoje envolvidos em lugares como o Afeganistão e o Iraque.» — Gore Vidal

    A Revolução Islâmica de 1979 e a subida ao poder do aiatola Khomeini assinalam uma viragem histórica que abriu caminho para o fundamentalismo islâmico tal como hoje o conhecemos. Mas como se explica a tomada de posições extremas que opõem Oriente e Ocidente? Como chegámos ao nível de violência actual?

    Stephen Kinzer, repórter do New York Times e correspondente assíduo no Médio Oriente, conta‑nos a história do golpe de estado no Irão, em 1953, uma história de espiões, de sabotagem e de agentes secretos, de revoltas encenadas, de malas cheias de dinheiro e de encontros à meia‑noite, através da qual ficamos a compreender a ascensão do fundamentalismo islâmico e da oposição ao Ocidente que hoje domina o Islão. Os Estados Unidos e a Inglaterra, liderados por Einsenhower e Churchill, respectivamente, ao auxiliarem o derrube de um regime democrático, alteraram o curso da história.

    Segundo Kinzer, «o golpe ofereceu aos Estados Unidos, e ao Ocidente em geral, um Irão em que se pôde confiar durante vinte e cinco anos. Esse foi um triunfo indiscutível. Porém, esse triunfo parece esmorecer».”

    https://tintadachina.pt/produto/os-homens-do-xa/

  • “Histórias que as mulheres contam” de Isabel do Carmo

    “«As histórias que aqui se contam são reais. Nada do que aqui é posto na boca destas mulheres é inventado, nem mesmo as expressões ou os comentários.

    [...] Por outro lado, todas as histórias estão relacionadas com a condição feminina, conduzindo muitas vezes a situações dramáticas na vida das mulheres, que são nossas contemporâneas.»”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/biografias-memorias/historias-que-as-mulheres-contam/

  • “Pensar sem corrimão” de Hannah Arendt

    “Estes ensaios abordam temas que vão desde «Karl Marx e a Tradição do Pensamento Político Ocidental» até ao totalitarismo e a violência na sociedade americana.O título é uma referência a um pensamento capaz de dispensar os tradicionais apoios da religião, da moral, da política ou da filosofia.

    «Quase todos os ensaios desta coletânea contêm “pérolas” do pensamento subversivo de Arendt. Muitas das suas observações compelem os leitores a pensar sobre o modo como a atividade política se realiza.» [New York Times Book Review]”

    https://relogiodagua.pt/produto/pensar-sem-corrimao/

  • “Conflito interno” de Kamila Shamsie

    “Nomeada para o MAN BOOKER PRIZE 2017

    «Shamsie faz com este romance o maior elogio que se pode fazer à ficção. Escreveu um livro que nos inquieta e faz pensar.» - [The Times]

    «Constrói uma das cenas finais mais notáveis que lemos este século.» - [The New York Times]

    «Shamsie atinge os cantos mais recônditos do coração humano.» - [Observer]

    «Kamila Shamsie destaca-se como voz internacional. Parece que consegue ouvir a música que nos rodeia.» - [Colum McCann]

    Isma está livre. Criou as suas irmãs gémeas após a morte da mãe e agora pode regressar ao sonho que há muito interrompera — estudar na América. Mas não consegue deixar de se preocupar com Aneeka, a bela e obstinada irmã que vive em Londres. Ou com Parvaiz, o irmão que desapareceu em busca do próprio sonho — provar a si mesmo que pertence ao legado jihadista do pai que nunca conheceu.

    Depois Eamon entra na vida das irmãs. Belo e privilegiado, vive em Londres num mundo diferente. Filho de um poderoso político muçulmano britânico, Eamonn tem um legado a defender — ou a desafiar.

    O destino das duas famílias está inextricavelmente ligado.

    Conflito Interno é uma história sobre lealdades que não resistem à colisão entre amor e política e confirma Kamila Shamsie como uma grande escritora dos nossos tempos.”

    https://relogiodagua.pt/produto/conflito-interno/

  • “Oráculo diário” de Jerico Mandybur

    “Como usar o oráculo diário

    Respeita e estima o Oráculo (e o teu eu superior) ao fazer uma pergunta ponderada todos os dias.

    1. Inspira profundamente e conta até três, segurando o livro perto do teu coração.
    2. Acalma a mente e concentra-te na pergunta. Visualiza-a ou di-la em voz alta.
    3. Percorre as margens do livro com o dedo e, quando sentires o chamamento, para e abre-o nessa página. Isto é a resposta do teu eu superior à tua pergunta.
    4. Confia no que leste e analisa como a resposta se relaciona com a pergunta e com a tua energia nesse momento.”

    https://www.presenca.pt/products/oraculo-diario

  • “Bach” de Pedro Eiras

    “Este é um livro sobre Bach, assente em catorze tentativas de aproximação à sua música. Uma carta de Anna Magdalena, uma cena de montagem de um filme, as conversas de técnicos de som em Nova Iorque, os pensamentos de Etty a caminho do campo de concentração, o silêncio. Intérpretes, biógrafos, romancistas, ouvintes - regra geral, nunca se encontraram e apenas a presença da música, em séculos diferentes, os aproxima, e a eles de nós. Mas qual música, qual linguagem, beleza, angústia e desespero, se ela é a pesquisa para o intérprete, pretexto para o guerreiro, última companhia para aqueles que vão morrer?

    «Os apartamentos parecem maiores, agora. Os cravos, a espineta, o alaúde já não estão connosco, nem os violinos e as violas da gamba: o meu falecido esposo ofereceu três instrumentos de tecla a Johann Christian, que os levou; quanto aos restantes instrumentos, foram partilhados pelos irmãos, logo depois de se lavrar o inventário. Um dia vieram dois homens buscar a espineta, e na parede onde ela esteve encostada tantos anos ficou uma sombra mais clara, por o sol nunca bater ali, e um risco de tinta vermelha, raspada na parede. Sigo o risco vermelho com os dedos, esforço-me por me lembrar do som.»”

    https://www.assirio.pt/produtos/ficha/bach/15927264

  • “Esquecida - Série casa da noite: outro mundo” de P. C. Cast e Kristin Cast

    “Na versão alternativa da Casa da Noite, conseguirá Zoey restaurar o equilíbrio entre Luz e Trevas?

    A Outra Neferet pode ter deixado a sua Casa da Noite, mas está longe de desistir dos seus objetivos de dominar o mundo. Enquanto tenta aceder à Magia Antiga, Anastasia, a nova Sumo‑Sacerdotisa, trabalha em prol da paz e da aceitação dos vampyros do Outro Mundo. Mas tal como o coração partido do Outro Kevin precisa de tempo para sarar, trazer a paz àquele mundo também exige tempo e trabalho — e nem todos os vampyros do Outro Mundo querem essa paz.

    Entretanto, Zoey está desesperada por livrar o Outro Mundo de Neferet de uma vez por todas, e não saber o que lá se passa está a consumi‑la. No entanto, tal como alerta a Manada dos Marados, é extremamente perigoso invocar a Magia Antiga.

    O que acontece quando mundos diferentes se confrontam e poderes que deveriam ser ignorados são despertados? Conseguirá o Outro Kevin e o seu mundo recuperar das feridas que Neferet lhes infligiu? Será possível controlar e utilizar a Magia Antiga para o bem? Ou irão as Trevas extinguir a Luz e deixar os nossos heróis destruídos, desesperados e esquecidos?”

    http://www.saidadeemergencia.com/produto/litfantastica-bang/fantasia-o-202346/esquecida/

  • “A ciência do sono: da fisiologia à (psico)patologia” coordenação de Bárbara Almeida e outros

    “O sono é um estado fisiológico essencial do ser humano, que ocupa um terço da sua vida. Apesar de ser objeto de fascínio e de estudo desde as civilizações mais antigas, o sono suscita ainda hoje muitas dúvidas aos especialistas e levanta questões que continuam por responder. Num mundo globalizado em que se trabalha e comunica cada vez mais, nem sempre é fácil manter um padrão de sono adequado.

    Esta obra pretende proporcionar aos leitores uma visão abrangente do sono, desde os processos neurobiológicos normais e as suas mudanças ao longo da vida (como na infância, adolescência, gravidez ou envelhecimento) até às alterações induzidas por doença mental e/ou física.

    Desta forma, ao longo dos capítulos são apresentadas as alterações mais comuns do sono, com as quais os clínicos se deparam frequentemente no seu quotidiano, sendo igualmente abordados métodos de diagnóstico e tratamento e o impacto que as alterações têm no bem-estar e na qualidade de vida dos pacientes.

    Obra de consulta prática e útil, que vai ao encontro das necessidades dos profissionais que se dedicam a esta área, A Ciência do Sono – Da Fisiologia à (Psico)Patologia constitui, em simultâneo, um importante contributo para um maior conhecimento de um elemento absolutamente vital para a qualidade de vida de cada um de nós.”

    https://www.parsifal.pt/livros

  • “A cozinha das primas” de Cátia Goarmon e Rita Rocha de Macedo

    “Um divertido encontro na cozinha entre duas primas: a cozinheira Cátia Goarmon e a nutricionista Rita Rocha de Macedo.

    Este livro é um divertido encontro na cozinha entre duas primas: a cozinheira Cátia Goarmon e a nutricionista Rita Rocha de Macedo. O encontro perfeito entre a defesa do sabor e do valor nutricional dos alimentos. Em comum: a mesma paixão pela culinária. Porque é à mesa que a família destas duas primas se reúne para viver momentos únicos.

    Rita Rocha de Macedo teve a preocupação de encontrar alternativas mais saudáveis para o açúcar e farinhas refinadas, de incluir produtos sem glúten e mais equilibrados. Já a Tia Cátia lutou para manter o mesmo sabor das receitas tradicionais que fazem as delícias de todos à mesa. Deste trabalho conjunto, resulta este livro com mais de 80 receitas saborosas, práticas e saudáveis para o seu dia a dia.

    Das deliciosas sopas aos pratos principais, sem esquecer as opções vegetarianas e, claro, as sobremesas, este livro mostra-lhe como não precisa de cozinhar diferentes pratos para a sua família, porque um está de dieta, outro não come glúten... Este é um livro para todos. Porque todos queremos comer de forma equilibrada, mas deliciosa.”

    https://www.planetadelivros.pt/livro-a-cozinha-das-primas/324179

  • “O osso do meio” de Gonçalo M. Tavares

    “Faz parte do universo de O Reino, próximo dos livros Um Homem: Klaus Klump, A Máquina de Joseph Walser, Jerusalém e Aprender a Rezar na Era da Técnica.

    Talvez um tom, os livros com tons (cores, agressividades, velocidades) e não géneros literários.

    Um tom, este: como flui o mal, a excitação, a passividade, a violência, pelos muitos solos da terra?

    Passado num período de pós-guerra, num movimento de ressaca colectiva.

    É um livro onde o meio aí está, logo no início, e aí fica até ao final.

    Três homens e uma mulher apanhados num ponto das suas violentas vidas (quase) felizes.

    A felicidade tem muitas variantes e algumas nada benignas.

    Kahnnak, Albert Mulder, Maria Llurbai, Vassliss Rânia, três homens e uma mulher.

    Um livro duro e triste.”

    https://relogiodagua.pt/produto/o-osso-do-meio/

  • “Obscénica: textos eróticos & grotescos” de Hilda Hilst

    “Ó, as mulheres! Que sensíveis e doces, que lúdicas ladinas imaginosas e torpes! Mulheres! Fiquei amante de Clódia, a «leoa dos plátanos». Eu a chamava assim porque me parecia ser esse o seu verdadeiro nome. Os plátanos vão por conta da sonoridade da palavra. Chamava-a também de «putíssima amada», mais cabível ainda.

    Hilda Hilst é, juntamente com Clarice Lispector, uma das maiores escritoras brasileiras do século XX. Autora de uma obra eclética, que inclui ficção, poesia, crónicas e teatro, permanece enigmaticamente quase desconhecida em Portugal. De 1990 a 1992, Hilst decidiu «alegrar-se um pouco» escrevendo textos eróticos e satíricos, convencida de que «o erótico é uma santidade».

    Esta antologia reúne alguns desses textos ditos obscenos, sarcásticos e grotescos, que surgem agora acompanhados pelas ilustrações de André da Loba, colaborador assíduo do New York Times e considerado um dos 200 melhores ilustradores do mundo.”

    https://www.orfeunegro.org/products/obscenica-textos-eroticos-grotescos-1

  • “Covid-19: a pandemia que nunca devia ter acontecido e como impedir a próxima” de Debora MacKenzie

    “Durante os últimos trinta anos de epidemias e pandemias, aprendemos quase todas as lições necessárias para impedir o surto deste novo coronavírus. Não seguimos quase nenhuma delas. O resultado é uma pandemia a uma escala como nenhum de nós alguma vez viu. Neste livro cativante e acessível , escrito com conhecimento de causa para nos abrir os olhos, a jornalista científica Debora MacKenzie expõe toda a história do como e do porquê de ter acontecido: os vírus anteriores que nos deveriam ter preparado, as falhas chocantes ao nível da saúde pública, a incapacidade em conter o surto e, mais importante, o que temos de fazer para impedir pandemias futuras, garantindo que algo assim nunca mais volte a acontecer.

    Ao longo de uma narrativa entusiasmante sobre os surtos significativos mais recentes, incluindo SARS, MERS, H1N1, zica e ébola, a veterana jornalista científica oferece-nos um curso rápido de introdução à epidemiologia - como se espalham os vírus e como terminam as pandemias - e destaca tudo o que não fomos capazes de aprender com cada crise passada. Com todo o pormenor, acompanha-nos pela chegada e propagação da Covid-19, deixando claros os passos que os governos poderiam ter dado para impedir ou, pelo menos, para se prepararem para tudo isto. Olhando em frente, MacKenzie apresenta um argumento arrojado e otimista: esta pandemia poderá, por fim, galvanizar o mundo para que leve os vírus a sério. Combater esta pandemia e impedir a próxima exigirá uma ação política a todos os níveis, global, de governos, da comunidade científica e dos cidadãos - mas é possível.

    Uma obra de leitura obrigatória para o momento presente e mais além.”

    https://www.presenca.pt/products/sem-titulo-2

  • “Time mindfulness” de Cristina Benito

    “Aprenda a estar mais consciente do seu tempo para fazer mais e melhor, com muito menos ansiedade.

    Depois de inspirar os leitores com Money Mindfulness, a economista Cristina Benito fala-nos sobre como administrar a moeda mais valiosa que possuímos: o tempo.

    Todos nós sabemos que a má gestão do tempo gera um estado permanente de stress, é responsável pelo aparecimento de muitas doenças e impede-nos de desfrutar plenamente das nossas vidas. Quando a falta de tempo se converte em algo crónico, procuramos muitas vezes soluções precipitadas, renunciando ao que é verdadeiramente importante e adiando indefinidamente as nossas prioridades.

    Cristina Benito traz-nos um método revolucionário para gerirmos o nosso tempo precioso e vivermos de uma maneira mais próspera, serena e criativa.”

    https://www.presenca.pt/products/time-mindfulness

  • “O projeto vencedor: um livro sobre autismo” de Tracy Packiam Alloway

    “Autora especialista em Psicologia Cognitiva e Educacional

    O Carlos sabe imenso sobre comboios, mas fica muito nervoso quando tem de se juntar aos colegas no projeto de construção de um comboio, para participarem na Feira de Ciência. Será que o Carlos, com a ajuda dos seus superpoderes, vai conseguir ajudá-los a alcançar o primeiro prémio?

    A coleção NEE Superpoderes celebra os traços positivos associados às Necessidades Educativas Especiais (NEE).

    Esta história vai ajudar as crianças a entenderem e a lidarem de forma construtiva com o Autismo.

    Atenção, pais! Inclui estratégias úteis para os desafios do dia a dia.”

    https://www.lilliput.pt/livros/nee-superpoderes-2-o-projeto-vencedor-um-livro-sobre-autismo

  • “As alterações climáticas & outras ameaças ambientais” de Hannah Wilson

    “O clima está a mudar em todo o mundo, provocando fenómenos indomáveis e temperaturas extremas, e isso está a afetar o delicado equilíbrio que garante a vida na Terra! O que é que está de facto a afetar a saúde do planeta? E o que quer afinal dizer “alterações climáticas”? Descobre de que forma a ação do Homem está a afetar os oceanos, o clima e o ar à nossa volta.

    Não é tarde de mais para agir! Este livro dá-te dicas sobre aquilo que podes fazer para minimizar a tua pegada de carbono e reduzir as alterações climáticas.

    Está recheado de atividades que põem em evidência assuntos da máxima importância.

    Uma coleção sobre a sustentabilidade do nosso planeta e os efeitos das alterações climáticas, colocando a tónica naquilo que CADA UM DE NÓS ainda fazer para salvar o planeta. Usando um vocabulário simples e um tom pragmático, a coleção aborda sem subterfúgios as alterações que já se fazem sentir no nosso clima, aquilo que pode vir a acontecer no futuro e aquilo que cada um de nós pode ainda fazer com impacto positivo no meio ambiente.

    Para leitores (pre)ocupados com a defesa do nosso planeta!”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/10-anos/literatura-infantil/as-alteracoes-climaticas-outras-ameacas-ambientais/

  • “O drama do plástico & outras ameaças ambientais” de Hannah Wilson

    “O mundo está a ficar cheio de lixo e isso está a fazer mal ao nosso planeta! Afinal, o que é que acontece àquilo que deitas ao lixo? Para onde vão esses despejos e de que forma é que eles afetam o mundo que te rodeia?

    Este livro dá-te essas e outras respostas! Está recheado de dicas úteis que te explicam como podes reutilizar materiais como o plástico, o vidro, o papel e o metal.

    Inclui ainda várias ideias práticas para a reciclagem de diferentes artigos lá em casa.

    Uma coleção sobre a sustentabilidade do nosso planeta e os efeitos das alterações climáticas, colocando a tónica naquilo que CADA UM DE NÓS ainda fazer para salvar o planeta.

    Usando um vocabulário simples e um tom pragmático, a coleção aborda sem subterfúgios as alterações que já se fazem sentir no nosso clima, aquilo que pode vir a acontecer no futuro e aquilo que cada um de nós pode ainda fazer com impacto positivo no meio ambiente.

    Para leitores (pre)ocupados com a defesa do nosso planeta!”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/10-anos/literatura-infantil/o-drama-do-plastico-outras-ameacas-ambientais/

  • “Nutristórias” de Catarina Malheiro

    “Livro composto por dez histórias sobre alimentação destinadas a crianças em idade escolar. Inclui propostas de atividades.”

    https://sigarra.up.pt/fcnaup/pt/noticias_geral.ver_noticia?p_nr=16064

  • “Contos para uma nova realidade: gerir as emoções, ultrapassar os medos e voltar às rotinas” de Begoña Ibarrola

    “Os últimos meses têm sido muito estranhos para as crianças: permaneceram fechadas em casa, ouviram a toda a hora coisas que não entendem e foram obrigadas a ficar dias seguidos com familiares e amigos próximos... Contos para uma nova realidade é uma importante ferramenta para ensinar a gerir emoções e motivar voltar às rotinas antes do regresso à «normalidade».

    Mas também para nos incentivar a manter as coisas boas que estes meses nos trouxeram: a criatividade, a simplicidade, o tempo de qualidade em família e a solidariedade entre os vizinhos. Um hino ao otimismo para que a nova realidade seja mais encantadora e plena, e para que as crianças possam desenvolver todo o seu potencial e crescer saudáveis e felizes.”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/7-9-anos/literatura-infantil/contos-para-uma-nova-realidade/

  • “Lês-me uma história de Natal?” de Francesca Mascheroni

    “Como é difícil esperar pelo Natal! Também os dois gémeos, a Ana e o Pedro, estão ansiosos por que chegue a festa mais bela do ano. Mas a espera é longa, longa, muito longa… Parece que nunca mais acaba! Mas o que fazer para que seja mais fácil? A sua mãe tem uma ideia: o tempo ir-se-á num instante, se todas as noites ela tiver uma história para lhes contar. Por exemplo, a do anjo Gabriel… ou, então, a da estrelinha insatisfeita… Mas são só contos, sem mais nada? Não! O divertimento continua todos os dias, cozinhando saborosos docinhos ou confecionando simpáticos enfeites. E, assim, se prepara o Natal!”

    https://www.paulinas.pt/loja/livros/infantil-juvenil/livros-com-janelas/les-me-uma-historia-de-natal/

  • “Sabias que...?: a Terra” de Dr. Devin Dennie

    “SABIAS QUE…? A TERRA dá resposta a mais de 200 perguntas que qualquer mente curiosa poderia colocar acerca da Terra!

    Dos maiores seres vivos da Terra à origem dos fósseis, sem esquecer a formação das montanhas, este livro contém fotografias magníficas e factos bem curiosos sobre o nosso incrível Planeta Azul!

    Respostas brilhantes a perguntas desconcertantes!”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/7-9-anos/literatura-infantil/sabias-que-a-terra/

  • “Que desperdício!” de Jess French

    “Quase tudo o que fazemos gera desperdício e poluição, sejam restos de comida ou embalagens, e-resíduos ou gases nocivos. De onde vem e para onde vai todo o lixo que produzimos? De que forma está esse lixo a afetar o nosso planeta? Descobre as respostas a estas questões e tudo o que está a ser feito para combater o problema! Este livro está repleto de informação para também tu fazeres do nosso planeta um lugar melhor para vivermos. Porque até as mudanças mais simples podem fazer toda a diferença!”

    https://www.leyaonline.com/pt/livros/infantil-e-juvenil/7-9-anos/literatura-infantil/que-desperdicio/

  • “Espera, Miyuki” de Roxane Marie Galliez

    “Espera, Miyuki, nem todas as flores dançam ao mesmo tempo!

    Miyuki está impaciente: é o primeiro dia de primavera! Tem pressa de ir ao jardim, onde tudo floresce. Tudo menos uma pequena flor, ainda em botão. Miyuki, ansiosa por despertá-la, parte numa aventura em busca da água mais pura. O avô diz-lhe: "Espera!", mas Miyuki só consegue pensar na sua flor que não desabrocha...

    ESPERA, MIYUKI é um livro sobre a (im)paciência, que nos fala da arte de saber esperar. Delicado e sonhador, este álbum convida-nos a parar e a descobrir a lenta valsa de cada momento.”

    https://www.orfeunegro.org/collections/orfeu-mini/products/espera-miyuki

  • “És importante” de Christian Robinson

    “Somos importantes porque existimos. E existimos em comunidade. Em casa, na escola, no mundo, todos podemos fazer a diferença. Vamos começar?

    Grande ou pequeno. O último e o primeiro. Lá longe ou aqui perto. És importante. Podes às vezes sentir-te só e achar que não és capaz. Mas és importante. Mesmo se caíres e tiveres de começar tudo outra vez...

    Christian Robinson, ilustrador de OUTRO e GASTON, envia a todas as crianças uma mensagem de amor incondicional. Não importa onde estamos e quanto temos, mas sim o espaço que criamos para sermos uns com os outros e onde todos cabemos.”

    https://www.orfeunegro.org/collections/orfeu-mini/products/es-importante

  • “Grandes amigos” de Linda Sarah e Benji Davies

    “O Zé e o Nico são grandes amigos. São inseparáveis. Até que, certa manhã, um rapazinho chamado Gui ganha coragem para se juntar a eles...

    O Nico fica contente. Já o Zé, sente-se estranho, e deixa de ir brincar ao Monte do Cimo. Em vez disso, fica em casa sozinho. Mas tem saudades do amigo e das brincadeiras a dois.

    Um dia, ouve bater à porta. O Nico e o Gui preparam uma surpresa! Tem fitas ondulantes, é de todas as cores, faz barulho e tem, tem... RODAS! O que será?

    GRANDES AMIGOS, do ilustrador Benji Davies, é prémio Andersen na categoria dos 0 aos 6 anos. Uma história sobre amizade, partilha e a aceitação de novos sentimentos. A aventura de crescer!”

    https://www.orfeunegro.org/collections/orfeu-mini/products/grandes-amigos

  • “Kitty e o desfile das lanternas” de Paula Harrison

    “A Kitty está muito entusiasmada porque vai participar num desfile de lanternas de papel com toda a turma! Só não esperava que alguém se preparasse para arruinar a festa... Na escuridão da noite, o efeito das luzes decorativas e das lanternas iluminadas é tão bonito! Mas, por entre a multidão do desfile, há um ladrão misterioso que rouba tudo o que brilha... Apanhar o malfeitor e devolver os objetos roubados antes que o festival termine não vai ser nada fácil. Conseguirá a Kitty vencer esta corrida contra o tempo?”

    https://www.bertrand.pt/livro/kitty-e-o-desfile-das-lanternas-paula-harrison/24370030

  • “Mortina e o namorado fantasma” de Barbara Cantini

    “Quem será o misterioso rapaz-fantasma que anda a tentar entrar no Casarão Decadente há dias? A Mortina queria muito descobrir, mas ele não se lembra de nada... nem do seu próprio nome!

    Se ninguém o ajudar, o pobre espetro acabará por desaparecer — e logo na altura em que a tia Falecida está a organizar uma tenebrosa festa de Feliz Ano Defunto, no casarão.

    Juntamente com o Tristonho, o seu fiel galgo albino, a Mortina procura pistas que lhe permitam descobrir de onde vem o seu novo e pálido amigo, lançando-se numa investigação hilariante que fará o teu coração bater acelerado...

    Uma coleção que se tornou um sucesso internacional, já traduzida para 23 idiomas.”

    https://www.bertrand.pt/livro/mortina-e-o-namorado-fantasma-barbara-cantini/23677934

  • “Um dia de loucos: trinta ossos duros de roer” de Walter Benjamin e Marta Monteiro

    “«Um dia de loucos: Trinta ossos duros de roer» é um dos cerca de noventa programas de rádio para crianças e adolescentes que Walter Benjamin, um dos mais influentes pensadores do século XX, escreveu e apresentou na rádio alemã entre 1927 e 1933. Transmitidos entre a Rádio Berlim e Rádio Frankfurt, estes programas de Benjamin abrangiam uma fascinante variedade de tópicos: o terramoto de Lisboa, a erupção do Vesúvio, a inundação do rio Mississipi, e muitos mais. Neste texto em particular, Benjamin propõe uma intrigante e divertida história onde acompanhamos as peripécias da personagem principal na busca da solução para uma adivinha. Enquanto a lemos, somos desafiados a encontrar 15 erros e a responder a 15 perguntas. Cada resposta correta a uma pergunta vale dois pontos, porque muitas das perguntas são mais difíceis de responder do que os erros são de encontrar. Todas as soluções são apresentadas no final (não vale espreitar). Aceitam o desafio?”

    https://www.bruaa.pt/loja/um-dia-de-loucos/

  • “Vai correr tudo bem!” de Barry Timms e Faye Hsu

    “Uma história enternecedora sobre esperança, amor e coragem

    O Noa tem uma nova e mágica amiga: a Ave Luminosa! Esta ajuda-o a ser forte nas noites mais escuras.

    Se ao menos a sua magia ajudasse o seu papá a ficar bom outra vez…”

    https://www.minutosdeleitura.pt/livros/793262/vai-correr-tudo-bem/

  • “A piscina” de JiHyeon Lee

    “Um álbum para nos perdermos no tempo, o corpo suspenso em águas macias... Mergulhamos juntos nesta aventura?

    Duas crianças encontram-se em pleno mergulho numa piscina a transbordar de veraneantes... A timidez e a surpresa dão lugar à imaginação, e juntas criam uma realidade de seres fantásticos. Nadam lado a lado com peixes unicórnio e uma carinhosa baleia branca. Espreitam as tocas de simpáticas minhocas aquáticas.

    Um álbum que brinca com os limites do real, joga com contrastes e celebra a amizade. Da capa à contracapa, uma obra-prima que dispensa palavras.

    PRÉMIO AMADORA BD 2019 | Melhor Ilustradora Estrangeira

    Medalha de Ouro 2015 | Society of Illustrators' Original Art Show

    New York Times NOTABLE BOOK OF THE YEAR

    NPR.org MELHOR LIVRO DO ANO”

    https://www.orfeunegro.org/collections/orfeu-mini/products/a-piscina

  • “A sinfonia dos animais” de Dan Brown

    “O Maestro Rato está a preparar uma grandiosa surpresa sinfónica!

    Consegues descobrir o que anda ele a planear?

    Procura as pistas que ele vai deixando em todas as páginas!

    Estás pronto para uma grande aventura?

    Vem viajar pelos bosques e pelos mares com o Maestro Rato e os seus amigos músicos! Entre outros, vais conhecer uma grande baleia-azul, chitas velozes, escaravelhos minúsculos e cisnes graciosos - cada animal com o seu segredo para te contar e a sua música para escutar. Se ouvires com atenção as melodias da Sinfonia dos Animais, encontrarás cada um deles algures na música.

    Nesta história, cada animal tem uma característica que o distingue e transporta um instrumento musical. Individualmente, podem não parecer muito importantes, mas em grupo tornam-se surpreendentes. Quando - conduzidos pelo Maestro Rato - se juntam numa orquestra, o resultado é uma sinfonia afinada e maravilhosa, em que todos os músicos e instrumentos se revelam imprescindíveis e se completam.

    As ilustrações de Susan Batori conferem um sentido de humor adequado às crianças, com pistas adicionais escondidas nas páginas e nos cenários, para aguçar a curiosidade dos leitores mais atentos.”

    https://www.bertrand.pt/livro/a-sinfonia-dos-animais-dan-brown/23894318

  • “Todos são suspeitos” escrito e realizado por Rian Johnson

    “Harlan Thrombey é um escritor de renome que resolve organizar uma grande festa para celebrar o seu 85.º aniversário. Tudo isto não passaria de uma vulgar reunião familiar não fosse o facto de, no dia seguinte, o velho senhor aparecer morto. Para investigar o caso é enviado Benoit Blanc, um detective conhecido pela sua extraordinária agudeza de espírito. Qual não é o seu espanto quando o investigador percebe que todos os presentes, sem excepção, têm um motivo real para assassinar o patriarca.”

    https://www.fnac.pt/Knives-Out-Todos-Sao-Suspeitos-DVD-Daniel-Craig-DVD-Zona-2/a7385213

  • “Buracos negros: as Palestras Reith da BBC” de Stephen Hawking

    “«Diz-se que, às vezes, a realidade é mais estranha do que a ficção, e em nenhuma área isso é mais verdadeiro do que em relação aos buracos negros. Os buracos negros são mais estranhos do que tudo o que foi alguma vez imaginado pelos escritores de ficção científica.»

    Todos os anos a BBC convida um vulto de renome para desenvolver, num tema à sua escolha, um ciclo de palestras conhecidas como as Palestras Reith. Em 2016, o palestrante foi o Professor Stephen Hawking, e o tema, os buracos negros.

     

    Hawking faz-nos uma visita guiada à história dos buracos negros e argumenta que quanto mais perto estivermos de entendê-los e o modo como eles desafiam as nossas noções de tempo e espaço, mais perto estaremos de desvendar os segredos do Universo. Escritas com simplicidade e o sentido de humor característico de Hawking, estas palestras, anotadas pelo editor de ciência da BBC, David Shukman, esclarecem de vez as nossas dúvidas sobre este fenómeno e deixam-nos maravilhados com a beleza do Universo.”

    https://www.bertrand.pt/livro/buracos-negros-stephen-hawking/23941436

  • “O elo perdido!” de Nuno Caravela

    “Este livro, vindo dos confins do tempo, está repleto de aventuras e gargalhadas. Tudo por causa de um grupo muito especial de amigos: o Tocha, a Ruby, o Menir, o Kromeleque, o Tzick e o Sabre.

    Eles são o Bando das Cavernas!

    Desta vez, o Kromeleque fez uma asneira tão grande que, segundo ele, quando a mãe descobrir, está perdido. Mas a verdade é que não é só ele quem anda perdido neste livro.

    Enquanto o Bando ajuda o Kromeleque a corrigir o que fez, uma misteriosa criatura, que nem ela própria sabe quem é, percorre a floresta atrás deles. Tudo isto irá evoluir, claro, para uma enorme quantidade de gargalhadas e espécies estranhas nesta inesperada aventura nos confins do mundo.

    Atreve-te tu também a evoluir e… Junta-te ao Bando!”

    https://booksmile.pt/livros/o-bando-das-cavernas-29-o-elo-perdido

  • “Dá-me a tua mão e leva-me: como evoluiu a relação pai-filho” de Daniel Sampaio

    “Dá-me a Tua Mão e Leva-me estuda como evoluiu a relação entre pai e filho, desde os anos 1970 até aos dias de hoje. Parte da parentalidade das últimas décadas do século passado, onde predominava a figura da mãe, até 2020, onde o pai emerge como personagem também fundamental para a criança.

    Retrata as modificações físicas, psicológicas e sociais que ocorrem na parentalidade masculina e que contribuem para a emergência do novo pai, ao mesmo tempo que defende a valorização urgente e necessária deste papel parental contemporâneo.

    Nos casos de divórcio e no que diz respeito à regulação das responsabilidades parentais, Daniel Sampaio defende a guarda partilhada com residência alternada, como forma de preservar os laços da criança com os dois progenitores.

    Esta obra reflete também sobre a evolução da Psiquiatria e da Psicologia no mesmo período de tempo, desde a visão dogmática do passado até aos impasses no seu desenvolvimento ao longo das últimas cinco décadas.

    Um texto atual e oportuno, que interessa aos pais e aos filhos, aos técnicos de Saúde Mental e a todos os que se interessam por um melhor relacionamento interpessoal.”

    https://www.wook.pt/livro/da-me-a-tua-mao-e-leva-me-daniel-sampaio/24067977

  • “Sombra silêncio” de Carlos Poças Falcão

    “Sombra Silêncio é a mais recente obra de Carlos Poças Falcão, um nome celebrado no âmbito da moderna Poesia portuguesa, Autor antologiado em diversas obras das mais representativas da Poesia portuguesa.”

    https://www.wook.pt/livro/sombra-silencio-carlos-pocas-falcao/22450121

  • “Em casa de bruxa” de Arin Murphy-Hiscock

    “A nossa casa é uma parte fundamental de quem nós somos, assim faz sentido que vincule a sua prática espiritual e de bruxa ao sítio onde constrói a sua vida. Em Casa de Bruxa, irá descobrir tudo aquilo de que precisa para viver, trabalhar e praticar no seu próprio espaço mágico. Siga os conselhos da experiente Arin Murphy-Hiscock numa jornada para construir e fortificar o seu espaço sagrado no seu próprio lar, com informações essenciais sobre como:

    - Criar livros mágicos de receitas, feitiços e encantamentos.

    - Preparar comidas que alimentam o corpo e a alma.

    - Realizar rituais de proteção e purificação do nosso lar.

    - Dominar os segredos do caldeirão e da chama sagrada.

    - Invocar para a nossa cozinha os deuses e deusas sagrados.

    - Elaborar elementos artísticos e artesanais”

    https://www.almedina.net/em-casa-da-bruxa-1591105966.html

  • “Quando eu estava na tua barriga” de Eduardo Sá

    “Um bebé nunca vem só. Ainda antes de nos entrar em casa, já a virou de pernas para o ar. É o berço que se ajeita, o quarto que se vai vestindo, velhas rotinas que se perdem. Ainda imagem difusa na ecografia, já ele se faz sentir em todos os poros, é um cansaço que se instala, uma ternura que cresce com o peso dos dias. Não é um mar de rosas. É antes como um rio, que começa num ponto pequenino algures lá longe. E que depois se aproxima, cresce, agiganta-se, até se juntar a esse mar imenso que são os pais - e o mundo - cá fora. É esse o rio que Eduardo Sá persegue neste livro, essa gravidez de pai e mãe, aqui descrita com delicadeza, com sabedoria, sem dramas ou medos. É um caudal complexo, que se multiplica e desdobra. E que o autor decifra em todas as suas nuances e afluentes. Temos aqui a futura mãe, jovem ou menos jovem, casada ou solteira, a viver com outra mulher ou com outro homem, a ter o primeiro filho ou os seguintes. O autor conduz-nos a todos os pontos, bons e menos bons, de uma gravidez que não é, nem pode ser, apenas "técnica". Quando Eu Estava na tua Barriga é uma porta para esse mundo tão longe e tão perto, para esse estado de graça, tão estudado e no entanto tão secreto, essa gravidez que é só começo e que dura uma vida.”

    http://luadepapel.pt/pt/educacao-e-familia/quando-estava-na-barriga-da-mae/